Ana

Ana

sábado, 31 de dezembro de 2011

sábado, 1 de outubro de 2011

TENHO FASES


Tenho fases como a lua. Sou Bipolar, inconstante, super conversadeira ou não, cheia de manias, fresca, chata, quase ou totalmente anti-social. Ás vezes tímida, louca, atirada, ou não. Não gosto de me sentir sufocada. Tenho horror a falsidade ou qualquer coisa desse gênero. Na maioria das vezes nem eu mesma me entendo. Hoje: quero muito. Amanhã: quem sabe. Não costumo dar trabalho. Nem levo desaforo para casa, pareço boazinha, mas não pisa em mim. Ás vezes sensível, ás vezes fria. Se eu tenho defeitos? Muitos. E quem não tem? Mas eu acredito que as qualidades superam os defeitos. Achava que o meu jeito me incomodava, mas agora vejo que é isso que eu sou. De verdade. É a minha essência, o meu caráter. E eu gosto de ser assim. Sou feliz da minha maneira.

sábado, 10 de setembro de 2011

Casa Arrumada

Carlos Drummond de Andrade (1902-1987)

Casa arrumada é assim:
Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa
entrada de luz.
Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não um centro cirúrgico, um
cenário de novela.
Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os
móveis, afofando as almofadas...
Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo:
Aqui tem vida...
Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras
e os enfeites brincam de trocar de lugar.
Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições
fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha.
Sofá sem mancha?
Tapete sem fio puxado?
Mesa sem marca de copo?
Tá na cara que é casa sem festa.
E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.
Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde.
Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante,
passaporte e vela de aniversário, tudo junto...
Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda.
A que está sempre pronta pros amigos, filhos...
Netos, pros vizinhos...
E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brinca
ou namora a qualquer hora do dia.
Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar com a cara da gente.
Arrume a sua casa todos os dias...
Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo pra viver nela...
E reconhecer nela o seu lugar.

domingo, 21 de agosto de 2011

E ELE AINDA CANTA!!!!!!!!!

"E CHEGA DE DEMANDA
O NOVO TEMA DO MEU SAMBA
É MUITO AMOR PRA DAR!"

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Deus

Conheci Deus por volta dos 6 ou 7 anos, porque antes eu o conhecia como papai do céu, e a nossa convivência durante muitos anos foi muito difícil... aquele doce papai de céu se transformou da noite para o dia numa figura castradora e autoritária.

Criada em colégios católicos Deus sempre foi minha idéia mais assustadora. A Irmã São Luís sempre dizia:_ Deus sabe tudo, Deus vê tudo que você faz, Deus castiga os pecadores...e você é uma pecadora, portanto, confesse para se redimir de seus pecados.E lá ia eu me ajoelhar no confessionário e contar ao padre meus pecados, que todas as semanas eram os mesmos, ou seja:_fui malcriada com a minha mãe, não fiz as lições de casa,falei um palavrão,fui teimosa...e minha penitência:_ ajoelhe-se, peça perdão á Deus e reze dez Ave-Maria e dez Pai Nosso,e não se deixe tentar pelo demônio, dizia o Monsenhor.

Pronto! Enfim estava salva do fogo do inferno, pelo menos naquela semana.
Deus não me dava paz... porque tudo era proibido,nada se podia fazer, porque seus olhos viam tudo de onde estava e eu em vão o procurava pelo céu, porque queria ver seus olhos a tomarem conta de tudo.Como aquilo era possível?Mas era assim... A Irmã falava e tinha que ser assim,afinal Deus devia falar com ela todos os dias.Era difícil entender porque Deus nos castigava tanto e o Diabo não estava nem aí...muito pelo contrário, ele gostava da idéia de cometermos pecados...Bom...vai ver era porque como as Irmãs diziam eles queriam levar nossas almas para o fogo do inferno.

Eu me sentia disputada pelos dois, mas, de qualquer maneira procurava andar na linha e confessar ao padre que eu era uma pecadora, porque assim eu recebia o perdão e me livrava do fogo eterno... Também não era nada fácil...uma vida só de penitências mas infelizmente não havia outro jeito.Assim,durante muito tempo Deus não se revelou para mim, ele era supremo demais para nós os simples mortais, também era muito distante e jamais se aproximava dos pecadores.

Quando minha solidão precisou de um amor sobrenatural para sará-la, lembrei de Deus, e fui procurá-lo.
Quando encontrei, Ele era um Deus maduro e generoso, que me curou por inteiro, e, como que para me separar definitivamente de todo mal, ainda me mostrou caminhos que eu não conhecia... caminhos que as Irmãs nunca nos mostraram.O Deus que hoje reconheço é doce, tolerante, compreensivo e infinitamente bom.
É Pai!
A única coisa que sinto é só ter tido a oportunidade de conhecê-lo tão mais tarde, porque o verdadeiro Deus nunca foi me apresentado e de ter aprendido a temê-lo, ao invés de amá-lo, quem sabe meus caminhos teriam começado muito antes.
Hoje...
É Ele quem me orienta e me encaminha todos os dias em cada momento.
Olhando para trás e lembrando de tantas ocasiões em que poderia ter desistido de tudo, mas não o fiz, percebo que sempre houve um clarão no fim de cada túnel, e que essa luz dava sentido a todos os aspectos e minha caminhada.
Antes, apenas, eu não sabia que a luz tinha um nome.
Hoje eu sei!
Inspirado num trecho de Maitê Proença

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

domingo, 31 de julho de 2011

"Eu te peço perdão por te amar de repente
Embora meu amor seja uma velha canção aos teus ouvidos
Das horas que passei à sombra dos teus gestos
Bebendo em tua boca o perfume dos sorrisos
Das noites que vivi acalentado
Pela graça indizível dos teus passos eternamente fugindo
Trago a doçura dos que aceitam melancolicamente.
E posso te dizer que o grande afeto que te deixo
Não traz o exaspero das lágrimas nem a fascinação das promessas
Nem as misteriosas palavras dos véus da alma...
É um sossego, uma unção, um transbordamento de carícias
E só te pede que te repouses quieta, muito quieta
E deixes que as mãos cálidas da noite encontrem sem fatalidade o olhar extático da aurora”

Mestre Vinicius de Moraes

terça-feira, 3 de maio de 2011

À Distância:

Roberto Carlos, Erasmo Carlos

Nunca mais você ouviu falar de mim
Mas eu continuei a ter você
Em toda esta saudade que ficou
Tanto tempo já passou e eu não te esqueci
Quantas vezes eu pensei voltar
E dizer que o meu amor nada mudou
Mas o meu silêncio foi maior
E na distância morro todo dia sem você saber

O que restou do nosso amor ficou
No tempo esquecido por você
Vivendo do que fomos ainda estou
Tanta coisa já mudou, só eu não te esqueci

Quantas vezes eu pensei voltar
E dizer que o meu amor nada mudou
Mas o meu silêncio foi maior
E na distância morro todo dia sem você saber

Eu só queria lhe dizer que eu
Tentei deixar de amar não consegui
Se alguma vez você pensar em mim
Não se esqueça de lembrar que eu nunca te esqueci

Quantas vezes eu pensei voltar
E dizer que o meu amor nada mudou
Mas o meu silêncio foi maior
E na distância morro todo dia sem você saber

Quantas vezes eu pensei voltar
E dizer que o meu amor nada mudou
Mas o meu silêncio foi maior
E na distância morro todo dia sem você saber

terça-feira, 19 de abril de 2011

Depois de ler o fabuloso texto da Marta Medeiros, Strip-Tease, pensei muito nessa coisa de desnudar a alma. Vamos e venhamos que é preciso Coragem, muita coragem para fazer o que a nossa heroína do texto da Marta fez.E pensei que dá pra contar no dedo de uma só mão quantas de nós fez qualquer coisa parecida.E porque? Medo! Medo é a palavra que nos faz tirar a roupa do corpo primeiro, ao invés de tirar a máscara da alma e dizer a verdade. Se arriscar, foi o que ela fez, e ela tinha consciência disso quando entrou, disse tudo que precisava,se jogou sem medo do que viria depois, mas falou com uma ousadia incrível:_Paramos aqui.Se um dia você sentir por mim o mesmo que eu sinto por você eu retorno e começamos de onde paramos e simplesmente se foi sem esperar o que ele tinha pra dizer.È difícil e sei que bem poucas de nós queremos correr esse risco, porque nossa idéia de conquista é outra.Nunca saberemos o desfecho dessa história, não saberemos se deu certo ou não, mas o que ficou claro é que ela foi capaz de dizer o que estava sentindo e que só iria continuar aquele relacionamento se ele pudesse dar á ela o que ela tinha a dar para ele.E aí eu misturo Strip-Tease com Pudim também da Marta Medeiros e vejo como estamos acostumados ás meias porções, ás migalhas que ás vezes nos é oferecida, e por pura carência acabamos aceitando e claro sofrendo depois.Como estamos sempre procurando o homem da nossa vida, todo homem que aparece a gente resolve investir e esse investimento é sempre fazer o que eles querem,E fazemos, porque acreditamos que dessa maneira estamos conquistando esse homem.Nem sempre, ou melhor quase nunca.E acabamos ficando com as sobras, ou com o pedaço pequeno, e o pior ainda nos contentamos com isso e pior ainda temos medo de mudar essa situação”Ruim com ele,pior sem ele” NÃO! “Ruim com ele, mil vezes melhor sem ele”
Mas concordo que não é fácil e é preciso Coragem, porque tudo está muito banalizado, você beija tantas bocas numa única noite e nem sabe o rosto das pessoas que beijou seus nomes então? Pra que? Se tudo é uma grande farra. Será que é isso mesmo que queremos de verdade?OK! Quando se tem 20 anos pode ser, mas depois disso, acho que queremos alguém que nos conheça,que divida,que some, multiplique, queremos alguém em quem confiar, e aí você só quer beijar uma boca. O mundo evoluiu mas o coração é sempre igual em qualquer época, em qualquer situação.Ninguém é perfeito depois que se apaixona,ninguém quer dividir seu Pudim com ninguém e muito menos se contenta com um minúsculo pedaço.O Amor não conta calorias, ele quer mais é engordar mesmo, se entregar, e é assim que deve ser, sem medo de ser FELIZ!

domingo, 17 de abril de 2011

Pudim

Por Marta Medeiros

Não há nada que me deixe mais frustrada
do que pedir Pudim de sobremesa,
contar os minutos até ele chegar
e aí ver o garçom colocar na minha frente
um pedacinho minúsculo do meu pudim preferido.
Um só.

Quanto mais sofisticado o restaurante,
menor a porção da sobremesa.
Aí a vontade que dá é de passar numa loja de conveniência,
comprar um pudim bem cremoso
e saborear em casa com direito a repetir quantas
vezes a gente quiser,
sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação..

O PUDIM é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano.

A vida anda cheia de meias porções,
de prazeres meia-boca,
de aventuras pela metade.
A gente sai pra jantar, mas come pouco.

Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons.

Conquista a chamada liberdade sexual,
mas tem que fingir que é difícil
(a imensa maioria das mulheres
continua com pavor de ser rotulada de 'fácil').

Adora tomar um banho demorado,
mas se contém pra não desperdiçar os recursos do planeta.

Quer beijar aquele cara 20 anos mais novo,
mas tem medo de fazer papel ridículo.

Tem vontade de ficar em casa vendo um DVD,
esparramada no sofá,
mas se obriga a ir malhar.
E por aí vai.

Tantos deveres, tanta preocupação em 'acertar',
tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação...

Aí a vida vai ficando sem tempero,
politicamente correta
e existencialmente sem-graça,
enquanto a gente vai ficando melancolicamente
sem tesão.....

Às vezes dá vontade de fazer tudo 'errado'.
Deixar de lado a régua,
o compasso,
a bússola,
a balança
e os 10 mandamentos.

Ser ridícula, inadequada, incoerente
e não estar nem aí pro que dizem e o que pensam a nosso respeito.
Recusar prazeres incompletos e meias porções.

Até Santo Agostinho, que foi santo, uma vez se rebelou
e disse uma frase mais ou menos assim:
'Deus, dai-me continência e castidade, mas não agora'...

Nós, que não aspiramos à santidade e estamos aqui de passagem,
podemos (devemos?) desejar
vários pedaços de pudim,
bombons de muitos sabores,
vários beijos bem dados,
a água batendo sem pressa no corpo,
o coração saciado.

Um dia a gente cria juízo.
Um dia.
Não tem que ser agora.

Por isso, garçom, por favor, me traga:
um pudim inteiro
um sofá pra eu ver 10 episódios do 'Law and Order',
uma caixa de trufas bem macias
e o Malvino Salvador, nu, embrulhado pra presente.
OK?
Não necessariamente nessa ordem.

Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estrago . . .

sábado, 16 de abril de 2011

Strip-tease Marta Medeiros

Chegou no apartamento dele por volta das seis da tarde e sentia um nervosismo
fora do comum. Antes de entrar, pensou mais uma vez no que estava por fazer.
Seria sua primeira vez. Já havia roído as unhas de ambas as mãos.
Não podia mais voltar atrás.
Tocou a campainha e ele, ansioso do outro lado da porta,
não levou mais do que dois segundos para atender.
Ele perguntou se ela queria beber alguma coisa, ela não quis.
Ele perguntou se ela queria sentar, ela recusou.
Ele perguntou o que poderia fazer por ela.
A resposta: sem preliminares.
Quero que você me escute, simplesmente.
Então ela começou a se despir como nunca havia feito antes.


Primeiro tirou a máscara

“Eu tenho feito de conta que você não me interessa muito, mas não é verdade.
Você é a pessoa mais especial que já conheci.
Não por ser bonito ou por pensar como eu sobre tantas coisas,
mas por algo maior e mais profundo do que aparência e afinidade.
Ser correspondida é o que menos me importa no momento: preciso dizer o que sinto”.


Então ela desfez-se da arrogância

“Nem sei com que pernas cheguei até sua casa, achei que não teria coragem.
Mas agora que estou aqui, preciso que você saiba que cada música que toca
é com você que ouço, cada palavra que leio é com você que reparto,
cada deslumbramento que tenho é com você que sinto.
Você está entranhado no que sou, virou parte da minha história."


Era o pudor sendo desabotoado

“Eu beijo espelhos, abraço almofadas,
faço carinho em mim mesma tendo você no pensamento,
e mesmo quando as coisas que faço são menos importantes,
como ler uma revista ou lavar uma meia, é em sua companhia que estou”.


Retirava o medo

“Eu não sou melhor ou pior do que ninguém, sou apenas alguém
que está aprendendo a lidar com o amor, sinto que ele existe,
sinto que é forte e sinto que é aquilo que todos procuram. Encontrei”.


Por fim, a última peça caía,deixando-a nua

“Eu gostaria de viver com você, mas não foi por isso que vim.
A intenção é unicamente deixá-lo saber que é amado e deixá-lo pensar a respeito,
que amor não é coisa que se retribua de imediato, apenas para ser gentil.
Se um dia eu for amada do mesmo modo por você, me avise que eu volto,
e a gente recomeça de onde parou, paramos aqui”.

E saiu do apartamento sentindo-se mais mulher do que nunca.
Eu não escrevo para os homens, não. nunca em momento algum eu escrevi qualquer texto para falar dos homens.A verdade é que eu escrevo sobre o universo feminino, sobre nós mulheres, sobre situações e sentimentos que todas nós pelo menos uma vez na vida já vivenciamos.Agora, claro que é o homem essa espécie divina e fofa que reina absoluto nesse universo.Conheço pouco o universo masculino e tento entender a cabeça dos homens, tento adivinhar o porque deles agirem assim ou assado.Essa racionalidade quase que absurda que eles tem de lidar com situações, onde nós mulheres somos capazes de chorar por dias e dias.Mas fico pensando se eles são mesmo tudo isso? Se lá no, escondidinho do seu quarto ás vezes não rola uma lágrima de saudade, uma dor de cotovelo e eles também passam uma noite sem dormir. Fico pensando se eles já fizeram alguma simpatia pra mulher amada, se nunca acenderam uma vela e pediram ao anjo da guarda aquele pelo amor de Deus me trás a fulana de volta. Mas de qualquer forma eu não os entendo. Eles estão sempre saindo de um relacionamento e não querem se envolver, ou qualquer outra coisa e eles não querem se envolver.Caramba como é difícil achar alguém que já tenha saído há muito tempo de um relacionamento e queira se envolver.Eu também não entendo muito esse se envolver.O que na verdade um homem quer dizer quando diz:_Eu não quero me envolver?Será que não quer gostar, amar, ter compromisso. Como é não se envolver? È não pensar no outro nunca, não sentir saudade, não poder ligar senão caracteriza o envolvimento?È pra mim os homens vem com um código de barra que a registradora não reconhece, tem que digitar na mão mesmo. Mas entendo sim do universo feminino, daquilo que sentimos e do que somos capazes quando nos apaixonamos. Você não quer ligar, quer mostrar que não está nem aí, mas repetindo pra si mesma eu não vou ligar, você se pega discando o número do fulano.È como abrir uma caixa de bombom e dizer:_Vou comer um só, e quando vc vê a caixa está vazia.E temos esse dom né? De nos apaixonar muitas vezes e sempre achar que aquele é o homem perfeito, o famoso homem da sua vida que eu também estou procurando. Ah! Antes de achar o homem da minha vida preciso encontrar aquele que não está saindo de nenhum relacionamento e queira se envolver... Quer saber? mais fácil achar o homem da sua vida, ou acreditar que achou e pronto, porque todos, todos estão saindo de um relacionamento e não querem se envolver. Já que perfeito eles não são mesmo e se você minha amiga achar esse que não se importa em se envolver, melhor pegar e ficar quieta no seu canto sem fazer muito alarde.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Sei que corro o risco de ser apontada como uma frustrada ou fracassada, mas aí volto a repetir:_Que atire a primeira pedra quem nunca fracassou ou se frustrou no amor. Não tem como, porque acredito que quando nós nos apaixonamos criamos uma imagem do homem padrão que queremos na nossa vida, na verdade muitas vezes amamos uma pessoa que não existe e que no fundo sabemos disso, mas a fantasia é tão gratificante que deixamos rolar solto e nos apaixonamos por esse suposto homem que nós gostaríamos que existisse. E depois, claro um dia a ficha cai e tristemente descobrimos que aquele homem não existe. Então sofremos,acusamos o infeliz de ter nos enganado, de ter nos iludido.Mas o coitado, e nesse caso tenho que dar a mão á palmatória não nos enganou, certamente ele sempre foi o que é, mas nossa mente apaixonada não enxergou.Bom, tudo bem, acontece também de maneiras diferentes...também amamos um cafajeste, um galinha,um encosto, enfim...tem um pouco de tudo.Claro que já me decepcionei e me frustrei com NS pessoas, mas isso são momentos, Estar e Ser....diferentes um do outro.Mas tenho que falar e aqui não só das minhas experiências, não falo por todas as bocas que me contam suas histórias, choro por todos os olhos que mostraram suas lágrimas para mim e percebo que nós mulheres tão fortes e corajosas que somos nos tornamos frágeis diante da possibilidade de uma paixão.Como os homens conseguem amar tão racionalmente? Conseguem mandar um torpedinho tão pobrezinho:_Boa noite; bj.
È minha gente, mas eles conseguem, e se eles conseguem temos que conseguir... é fácil, pelo menos parece: Dar exatamente aquilo que recebe._Boa noite pra vc Tb;bj
Dureza heim...
Aprender a falar, se colocar. O camarada vem lá com aquela velha conversa:_Acabei de sair de um relacionamento,não quero namorar, quero só sair....isso quer dizer: Só vou te comer, ok?
Cara se você tá querendo um namorado, não se iluda de aceitar essa migalha, porque não vai mesmo passar disso. Você não vai conseguir que ele fique de quatro por você e se ficar ele que venha. Então criatura, abre essa boca sem medo e diz pro bunitinho:_Vem cá, você não quer se envolver, mas eu quero então seu caminho é um e o meu é outro... quem sabe um dia a gente se encontra com os mesmos objetivos.Não tem que aceitar a proposta se não é isso que você quer.Eu sei que falar é fácil mas na hora de fazer bate aquela coisa...”Não, esse vai ser diferente” Vai não minha amiga, vai não.Algumas mulheres sempre chegam atrasadas e outras caramba, parece que estão sempre no lugar certo, na hora certa.Eu sou um pouco lerda nessas coisas...quando alguém me diz:_O fulano separou! Antes da frase terminar uma veio e pegou. Droga!
Homem CASADO; PRESTA ATENÇÃO! A conversa é sempre a mesma, porque por mais que amamos esses homens fofos temos que admitir que eles são pouco criativos. Todo homem casado vive mal com a mulher e está para se separar...affe...Ah! Não tem nada com ela há muito tempo... Mas tem o filho que é pequeno, a filha que entrou pra faculdade, a mãezinha que sofre do coração, o pai que pode deserdar. Ele pede um tempo, pede apaixonadamente que você espere ele resolver esse bando do problemas...que não existe, o que é pior...você acredita.Ás vezes pergunto a alguém:_Vem cá, você acredita mesmo que ele vá largar da mulher?_Acredito!
Não vai minha amiga, não mesmo. E vai você cair no conto do otário mais uma vez, já vi esse filme. Experiências repetidas tem uma única finalidade: mostrar aquilo que você não quer aprender.Ele que resolva os problemas dele independente de você, que resolva por ele, porque ele não está feliz e se depois disso vocês se encontrarem ótimo.Complicado né? Pra mim também não é fácil, mas ando mudando minha atitude tento ser mais racional pra me proteger um pouco, porque chega uma hora na vida que você tem que dar um basta e ser feliz. Se vai dar certo eu ainda não sei, mas uma coisa é certa, amadureci muito mais, não tenho medo de falar o que penso o que quero ou mesmo de dizer em letras garrafais: NÃO! Sem me preocupar se o camarada vai ligar no dia seguinte. Em vez de dar meu telefone to pegando o dele, e ele que espere que eu ligue no dia seguinte ou não.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Pedaços de mim!

Talvez minha história seja assim mesmo... aos pedaços, aos trancos e barrancos.Porque o que é a Vida senão Pedaços? A Vida é um grande quebra-cabeça que ás vezes leva toda uma vida para poder juntá-los e encaixá-los se é que realmente conseguimos fazer isso.
Um dia um Pedaço meu quer tudo, no outro ele quer se esconder e nunca mais ser visto. Subir as montanhas e ermitar no Himalaia. Existe sempre um Pedaço da gente que fica no Tempo, se perde por um motivo qualquer, ás vezes se perde numa curva, se perde numa decepção, se perde no medo de viver novas aventuras. Se perde quando deixamos um amor ir embora antes mesmo de conhecê-lo.Tem Pedaço que fica parado quando se depara com um novo percurso a seguir.Existem Pedaços que com certeza eu nunca vá viver ou porque não terei oportunidade ou simplesmente porque não faz parte da minha vida.E quanto tempo meu Deus levamos para compreender isso? Quanto tempo? teimamos em esperar por algo que não virá, ou que não voltará. E porque? Porque queremos acreditar naquele sonho, naquela fantasia. Simplesmente tem coisas e pessoas que não virão nas nossas vidas por mais que lutemos ou acreditemos nisso. Não adianta brigar, tem coisas que não se explicam...ou as aceitamos ou sofremos eternamente.E enquanto isso a vida segue, o mundo caminha, porque ninguém para porque você está sofrendo.Somos tão insignificantes nesse imenso Universo que a nossa vida ou a nossa morte simplesmente não muda nada no mundo...e as pessoas vão sair de manhã de suas casas, irão para o seus trabalhos e ninguém vai prestar atenção que você sofreu uma decepção, que você acreditou na história da Bela Adormecida.Tem Pedaço que ficará na lembrança, mas somente ficará, não me impedirá de viver.Ele pode ser o rosto que jamais conseguirei esquecer e quem sabe esse seja o preço que terei que pagar.Pode ainda ser um motivo para eu poder sobreviver todos os dias, uma das razões pela qual viverei.A razão pela qual me levanto pela manhã e parto em busca de alguma coisa, que nem sempre sei o que é.Mas viverei.Ainda assim viverei!Pode ser não só um Pedaço, mas um Amor que não espera que dure, porque não dura... pra sempre é muito tempo...e o que é pra sempre?Um Pedaço que viverá das sombras do meu passado, daquilo que um dia eu sonhei, mas que não foi possível, porque não tinha estrutura, era só uma fantasia, ou talvez tenha vivido somente e tão somente na minha imaginação. E quantas vezes tentamos, quantas vezes buscamos por todos os cantos aquele que nos completa, mas não existe ninguém que nos completa, nem mesmo nossa alma gêmea.E aí vem a famosa e mais antiga frase de encerramento de uma história...”Eles não viveram felizes para sempre” alguém entrou com a bunda e outro com o pé.Droga! Gosto de fantasia! Gosto de pensar:_Onde estará meu Pedaço?Quem sabe ele também não está por aí me procurando?Mas onde quer que ele esteja com certeza me lembrarei dele até o dia da minha morte.

Chama Da Paixão

E você foi
O meu primeiro, meu segundo ou meu terceiro amor
Talvez o último, penúltimo que conquistou
E acendeu a chama dessa paixão

Me fez feliz
Por muito e muito tempo por bastante que durou
Mas veio a chuva e essa chama logo se apagou
Derretendo a chama no meu coração

Voa, gira girassol, tempo voa vai buscar
E assim seu coração, bateu por outra pessoa
E acendeu a chama dessa paixão

Bye bye adeus, meu coração você perdeu
Bye bye e agora, ainda te quero mas to indo embora

Pode dizer que tudo que fiz por você foi uma grande ilusão
Mas era só abrir a porta do meu coração
E for então que resolveu me abandonar, (Lai á)

Bye bye adeus, meu coração você perdeu
Bye bye e agora, ainda te quero mas to indo embora

domingo, 3 de abril de 2011

Acenda Sua Estrela é hora de Brilhar

Toda pessoa traz consigo estrelas que a vida concede.
Estrelas de brilhar, estrelas de crescer, estrelas de encontrar o caminho do sonho que se persegue.
Saber reconhecer os brilhos e as estrelas é o nosso destino.
Porque há quem se encante com o brilho de estrelas que não são suas e se perde.
Há quem deseja o brilho de outra mais distante e por isso passa quase todo o tempo como passageiro, nas estações, à espera de um trem para lugar nenhum.
Aceitar as estrelas que trazemos é o que faz a diferença entre o que queremos ser e o que verdadeiramente somos.
Brilhar é acreditar na força que elas têm, desvendar seus mistérios, e aí então deixar que suas luzes se derramem alma adentro e tanto, que carregar as estrelas seja como conduzir um candeeiro, para que, onde quer que se vá, longe, alto, possam os outros perceber a claridade.
Esse é o desejo: uma felicidade intensa hospedada definitivamente em seu coração, como estrelas na palma das mãos a iluminar os caminhos.

quarta-feira, 30 de março de 2011

A vida é como jogar uma bola na parede: ...

A vida é como jogar uma bola na parede:
Se for jogada uma bola azul, ela voltará azul;
Se for jogada uma bola verde, ela voltará verde;
Se a bola for jogada fraca, ela voltará fraca;
Se a bola for jogada com força, ela voltará com força.
Por isso, nunca "jogue uma bola na vida" de forma
que você não esteja pronto a recebê-la.
A vida não dá nem empresta;
não se comove nem se apieda.
Tudo quanto ela faz é retribuir e transferir
aquilo que nós lhe oferecemos.

Albert Einsten

segunda-feira, 21 de março de 2011

Moyseis na lapa

Carnaval na Lapa

Você é linda, é tudo que eu sonhei na vida, é boa nisso, é boa naquilo, MAS...é nesse maldito MAS...que reside todos os nossos problemas.Então vamos ser claros e sinceros.Você é linda, adorei transar com você mas não tô a fim de nada além disso.Perfeito! Perfeito! Nada pior que a hipocrisia._Olha eu gosto de você, gosto mesmo, mas não estou numa fase boa.E existe fase boa pra se amar? Pra se ficar junto?Pra que inventar desculpas pra algo que está tão claro.Cara larga mão de ser FDP.Ás vezes penso que os homens ainda imaginam que somos burras, aquelas que foram criadas um dia para serem enganadas e aceitarem sem fazer qualquer questionamento.Pior ainda os babacas que só nos dão valor depois que perdem.Como pode alguém perder coisas, pessoas para dar valor? Ah! Tem que ser muito otário.O amor não é dado a essas esquisitices.Acontece uma empatia, uma atração, você curte aquilo uma, duas, três, sei lá, quantas vezes for bom...deixa acontecer...pode durar uma noite e ter valido por mil, pode durar meses, anos, só não pode durar mil noites e não ter valido por nenhuma, ou ficar acontecendo porque não há mais nada a fazer, ou porque a(o) minha(o) namorada(o) é linda(o).Ah! para o Mundo eu quero Descer!
Quero mesmo,e quero mandar tomar aquele famoso ônibus 147 da Linha Vá Se Ferrá!
Vem cá? Me dar valor depois que me perdeu?
Então é necessário que percamos tudo nessa vida...amor, trabalho, amigos, dinheiro, saúde, alegria de viver pra somente então entendermos o quanto aquilo tudo era importante?Quer uma coisa mais doida que essa?Será que não está na hora da gente crescer? Será que não está na hora de tomar uma Tequila e parar de falar tanta asneira?

quarta-feira, 16 de março de 2011

Eu te Amo!

"Eu te amo, e o meu amor por você tem gosto e tem cheiro... e tem cor.
È verde, e é laranja...
È doce, e é amargo...
È uma felicidade exagerada,
Uma lágrima de alegria,
È um conto mal contado,
Uma poesia inacabada.
È um amor que não se mede.
Um anjo roxo... e um demônio louco.
Um anjo que chora... e um louco que canta.
È um amor imenso,
Um ódio intenso.
Eu te amo, no silêncio do meu quarto,
Nas lágrimas de saudade,
Na solidão da minha alma.
È renuncia.
È morte, È ressurreição.
È luz, é branco,
È preto, escuro, são trevas...
Chora e ri,
Está tão longe,
Mas se sente tão perto.
Dói, sangra, arde, queima,
Tem a beleza do outono,
O frio do inverno,
Desabrocha na primavera
Quebra no mar durante o verão.
Se derrama feito leite,
Se espalha como a água,
E flutua, como um enorme balão colorido!”

Ana Fernandes

terça-feira, 15 de março de 2011

Todos nós temos pedaços amargos na vida. Não vou falar de nenhum deles, porque não quero falar de tristeza. Não quero escrever sobre a mágoa, sobre a decepção, isso é muito dolorido.A constatação de um fracasso é mil vezes mais suportável do que a constatação de uma decepção, de uma traição.E eu não falo aqui somente daquela traição homem/mulher.Não! Falo sobre deslealdade. Pra mim mil vezes a infidelidade do que a deslealdade. Bom se você não sabe o significado dessas duas palavras ou acha que as duas coisas são a mesma coisa, vou dar a definição das duas segundo o “Aurélio”

fidelidade
fi. de.li.da.de
sf (lat fidelitate) 1 Qualidade de quem é fiel; 2 Semelhança entre o original e a cópia. 3 Afeição constante: A fidelidade do cão. 4 Probidade. 5 Exatidão, pontualidade.

lealdade
le. al.da.de
sf (leal+dade) 1 Qualidade de leal; 2 Ação leal. Antôn: hipocrisia.

Então, muito embora as duas palavras possam parecer parecidas, elas tem significado diferentes... Na fidelidade existe ou não uma exatidão, uma pontualidade, uma semelhança, mas na deslealdade antônimo de lealdade existe uma hipocrisia. Os pedaços ruins servem apenas como lições, se é que aprendemos numa única vez... então tentar fazer da melhor maneira possível é sempre um bom caminho, para que eles passem batidos e aprender a não nos demorarmos muito nesses pedaços.Caramba, passei por maus pedaços, mas quer saber? Já foram e hoje procuro nem pensar mais neles porque de nada serve ficar se martirizando ou então ficar se culpando... ”devia ter feito assim... devia ter feito assado...” Aquilo que não deu certo ou não está dando certo é porque é preciso mudar, e mudar dói. Não existe mudança sem dor.Porque ela marca uma passagem, algo que termina e algo que começa...droga, até para se libertar das tranqueiras é difícil e dolorido.Não é fácil dizer...Acabou e realmente ter acabado...é um processo demorado, mas sempre necessário.Mas ainda com todos os pedaços ruins que a gente vive, porque vive, é bom viver nossas histórias até o fim, vivê-las por inteiro, sem culpa, sem se atormentar com o eterno CERTO e ERRADO. É bom viver histórias, porque vivê-las é ter lembranças, é ter o que contar, o que recordar.Quem tem medo, não vive, não tem o que falar, só conta tristezas, depressões, só conhece a solidão.Alguém que não vive um história por medo, por covardia ou imaturidade não conhece o sabor da aventura, a adrenalina da paixão, o desejo.Só sabe contar fracassos,vive escondido do mundo em busca de nem se sabe o que.Para! Para e toma o ônibus 147:_ Linha Vá se Ferrá!E desce na última parada, porque se descer antes vai se perder outra vez.Que saco! No ponto final pergunta qual ônibus vai pra Cidade dos Babacas e sobe nesse e segue em frente e faz favor, não olha pra trás, porque a paisagem é desoladora, mas pra onde você vai tem tanto babaca reclamando da vida que você vai acabar achando bacana.È lá sua praia.Poluída, mas tudo bem...pra sua cabeça tá é mais do que bom.

segunda-feira, 14 de março de 2011

domingo, 13 de março de 2011

Sensível demais!

Dizem que ás Vezes as fadas costumam dançar em círculos sobre a erva verde, em baixo de velhos carvalhos ou em vales floridos, esta dança é chamada de o anel das fadas. A visão desse espetáculo é muito perigosa para o ser humano. O suave encantamento da música das fadas seduz e arrasta o espectador para dentro do anel.
Ali comem ou bebem o alimento mágico, tornando-se, assim, para sempre escravos desses seres sobrenaturais. A dança das fadas é um saltitar selvagem que lembra um pouco o ditirambo do culto de Dionísio. A dança parece durar apenas uma ou duas horas, mas o tempo real de duração é de sete anos.
Diz à lenda que as fadas são excelentes musicistas e a sua música possui especial magia e muitas canções, hoje conhecidas no mundo dos homens, têm a sua origem no mundo das fadas. Esses espíritos são fascinados por música e os músicos humanos de grande habilidade correm o risco de serem raptados por esses seres e levados ao seu reino para que seu talento seja apreciado por uma corte de fadas e outros seres espirituais. As melodias das fadas são marcadas por um som plangente, mas selvagem que, há um tempo, encanta e seduz. A pessoa que tiver o infortúnio de escutar esses sons mágicos sentirá, inicialmente, uma grande sensação de paz, até que adormece para não mais despertar. Seus instrumentos principais são: a flauta, a gaita, o violino e outros instrumentos fantásticos desconhecidos dos seres humanos. Nesse Pedaço fico fascinada, pois quando li isso em algum lugar me questionei sobre a magia que a música causa aos seres humanos. Ela encanta, seduz, contagia, inebria, porque as duas, música e dança são ligadas como se fossem almas gêmeas, impossível, uma sem a outra. Nosso corpo dança mesmo sem saber dançar ao ouvir uma melodia.O corpo se entrega, entra numa espécie de transe e quando você se dá conta ele se movimenta suavemente ou freneticamente sem se importar com nada.A música não racionaliza, em determinado momento seu corpo dança sem se importar se está certo ou errado, técnica? Existe? Claro, mas não quando se está comprometido com a música. Ela é uma viagem para dentro de nós mesmo e para fora, para alguma lugar que só a alma conhece e nos guia. Dançar é se entregar, é confiar no seu parceiro, se entregar á ele, como se entrega e se confia na vida.Penso então que os poetas e compositores freqüentemente são raptados por esses seres mágicos e seu deslumbramento é tão grande que são contagiados pela Inspiração.ela só pode vir de um lugar mágico onde muito poucas pessoas conseguem entrar e sair, sair com a música, com a letra, com a palavra que expressa qualquer sentimento.

Moyseis Marques!

sábado, 12 de março de 2011

terça-feira, 8 de março de 2011

Pedaços surgiu! assim como quase tudo na minha vida, não foi planejado, apareceu. E tinha que ser assim pedaços mesmo, pedaços que surgem do nada
e também acabam do nada. Escrever sempre foi minha paixão, mas sempre houve uma preocupação em como começar... Ter um tema, um foco, depois um começo, um meio e um fim... saber terminar sempre foi um problema pra mim, porque a inspiração não vem assim com data e hora marcada.Ela vem ou não.Ás vezes você passa dias sem conseguir combinar uma palavra com nada e em outros dias são tantos pensamentos, tantas emoções, tantas palavras que querem sair que você fica atordoado querendo não perder uma só idéia.Você acorda de madrugada para anotar rapidamente uma palavra que no dia seguinte te faça dar continuidade aquela idéia, aquele sentimento.Quando Pedaços foram surgindo eu compreendi uma nova fase literária na minha vida, acho que uma fase muito minha mesmo, tipo a minha cara, a minha praia.Passei a escrever sem preocupação em como começar e nem como terminar, sem ter mais que ser tudo rosa com rosa, azul com azul.Acho que to mais á vontade para misturar verde com roxo, laranja com Pink e por aí.Pedaços não vai ter fim, porque sempre haverão pedaços para escrever, pedaços a viver, sentir, fazer,pedaços que se foram e os que estão por vir, porque a vida não seria nada mais do que pedaços?Então acaba de nascer Pedaços e não tem hora para acabar, não terá um volume, dois... Poderá ser somente um e quem sabe muitos enquanto eu viver. Então Pedaços só terá fim quando finalmente o Criador resolver me chamar. Pensando bem sempre escrevi em pedaços e na única tentativa que fiz em escrever uma história seqüencial, não deu mesmo certo, porque até hoje a história vive na minha mente, mas o projeto no papel está inacabado, por essa total falta de não saber dar seqüência ás narrativas. E hoje pensei que minha vida também sempre foi feita de pedaços em pedaços... Engraçado isso, e o mais engraçado é somente agora eu ter dando conta dessa bagunça generalizada que é a minha vida, então jamais eu poderia ser uma escritora organizada. Pedaços vou escrevendo assim em pedaços mesmo.Eles ficam todos juntos e a cada momento pulo de um pedaço á outro.Ás vezes estou escrevendo um e me vem algo sobre outro pedaço, não tem dúvida, largo aquele e vou no outro.Louco!Espero somente conseguir levar a quem ler a compreensão de que todos os pedaços se interligam numa sincronicidade tão incrível que jamais uma seqüência conseguiria ligar. Pode entrar em Pedaços, seja Bem Vindo!Que os meus pedaços possam se juntar aos seus pedaços. Que os meus pedaços sirvam para os seus pedaços. Querendo podem mandar seus pedaços pra mim, ok?
Você está entrando nos meus Pedaços!
Aproveite
Como são pedaços, não existe uma ordem correta, eles estão de
cima pra baixo e de baixo pra cima
Você vai ter que rolar a setinha e escolher qual pedaço você vai ler primeiro
Escreva seus Pedaços, mande seus pedaços, a troca é sempre saudável
Ah! troca troca mais ainda!
Querendo me escrever:
anamerica@terra.com.br
Já deu para perceber que além de escrever eu sou apaixonada por música e dança
Gosto de muita coisa, mas atualmente sou fã incondicional de M.M.
Rola a setinha e conheça esse sorriso deslumbrante.
Beijos.

O Primeiro Clarim

Dircinha Batista
Composição: Rutinaldo / Klécius Caldas

Hoje, eu não quero sofrer
Hoje, eu não quero chorar
Deixei a tristeza lá fora
Mandei a saudade esperar, lá, iá, lá, iá
Hoje eu não quero chorar
Quem quiser que sofra em meu lugar.

Quero me afogar em serpentinas
Quando ouvir
O primeiro clarim tocar
Quero ver milhões de colombinas
A cantar:
Lá, iá, lá... lá, iá, lá...
Quero me perder de mão em mão
Quero ser ninguém na multidão.

segunda-feira, 7 de março de 2011

EU?
Já disse minha melhor especialidade é investigar a alma humana, tentar desvendar segredos, emoções, sentimentos e atitudes que me façam enxergar que o ser humano, tão complexo e tão facetado possa se mostrar pleno e verdadeiro naquilo que busca.
Presto atenção á tudo, aos pequenos detalhes, palavras escondidas no meio de frases inacabadas, respostas que não são dadas á perguntas não respondidas.
Sujeitos ocultos e predicados diretos e indiretos, esses são os meus preferidos, principalmente os sujeitos ocultos. Adoro encontrá-los.Verbos que são conjugados em todos os tempos e em todos os modos.Presto atenção principalmente ao que não foi dito e ao que se disse e como se disse.Busco encontrar dentro das almas vestígios do que fomos e tentar descobrir as intenções que carregamos e porque as carregamos.Adoro remexer por todos os lados, testar os limites, a paciência, a tolerância.Gosto de retirar do mais apurado paladar, o mais amargo veneno.Amo quando as palavras já não encontram mais tinta, nem fala disponível.Esgota-se o repertório, acaba o papel e a escrita fica ali á espera de um socorro.Essa sou eu, atenta á vida, aos detalhes e desatenta ao coração.Mas aprendi a me virar sozinha...Sou capaz de me lembrar de um olhar de 20 anos atrás e me esquecer de palavras ditas ontem mesmo.Não me contento em ser uma mulher somente linda, isso já passou na minha vida e eu não sou e nem quero ser uma menina linda, quero e sou uma mulher linda,madura, inteligente, capaz de amar um único homem com uma intensidade e um gosto muito mais apimentado do que simplesmente uma menina linda.Meninas lindas servem para desfilar na praia, mas somente quando se tem 20 anos, porque continuar uma menina linda que só anda na praia sem saber o que quer da vida, depois dos 20 é pura burrice.Só linda, não tem sal e nem açúcar.Eu hoje tenho tempero, condimento.Mas tive 20 anos e já desfilei pela praia,mas já foi, ainda bem.Porque há um vazio tão grande em ser apenas linda que ás vezes não compensa.Mas sei que em todo caminho há um perigo eminente, um desafio constante, um grito,um alerta.Seguir? Voltar? Ou nem ir?Posso pensar e dar a resposta daqui a um minuto?
Ok!
Prazer em te conhecer! Se você vier a me amar, ou se eu te amar, você vai poder ir embora, não vou te prender (coisa ruim, eu ando dispensando). vamos deixar algumas coisas bem claras, afinal o que é combinado...
Se amanhã fizer sol, não vou te perturbar implorar, chorar e nem mesmo pedir de joelhos de pijama atrás da porta, e muito menos te agarrar pelos cabelos, não vou me fazer presente na sua vida, mas ouvir umas verdades, ah! Não tem como, aí você vai: O sinal avisa:
Próxima Parada, Estação Puta que Paril: Vá
Interessante ler depoimentos no Orkut. Você já leu? Não? Experimente. Mais interessante ainda são os depoimentos de namorados ou sei lá de amores, relacionamentos, coisas como:_ Você é meu porto seguro; _ Você me traz segurança; _ Eu nada seria sem você;_ Ao seu lado eu tenho forças, e por aí. E o mais interessante é que nem bem passados alguns meses, aquele porto seguro se vai e outro porto seguro aparece.Caramba!Ninguém tá seguro. Porque o amor não pode carregar essa responsabilidade tão pesada de dar segurança ao outro, de fazer com que o outro se mexa, ande, só porque você existe ou de ter que existir para que o outro exista, ou ter que estar ao lado de alguém para que o outro tenha forças. Affe! Se eu acho lindo? Acho sim! Mas nós poderíamos comer uma pizza napolitana enquanto penso com mais carinho nessa parada. Amo pizzas, de todos os tipos e de todas as formas. Pizza com guaraná, coca-cola, com vinho, com catchup, aprendi com os cariocas porque não é coisa de paulista, enfim não importa amo pizza. Talvez meu cisne negro esteja enciumado porque nunca recebi um depoimento desses e nem mesmo acredito que tenha feito tal depoimento para alguém.Tem um lado engraçado e outro extremamente apaixonado, e eu me pergunto:_Se eu também sou um ser exageradamente apaixonado porque nunca fiz ou recebi tal depoimento?Caramba talvez eu tenha que admitir que não seja exageradamente apaixonada por ninguém, esse amor exagerado com certeza é por mim mesma, pela capricho que ás vezes tenho de querer que tudo tenha que ser como eu quero. Ou seja, quero que me amem da maneira que eu estiver precisando em determinado dia e não quero nem que fique perto de mim se naquele dia eu não estiver precisando de tanto amor assim. Então acho meio triste ter que depender da existência de outro ser para que eu possa viver.Acho bacana comermos essa pizza juntos, dividirmos o vinho, dar muita risada, acho legal se você quiser me contar sua história, suas tristezas e suas alegrias, conto as minhas também.Adoro conversa de bêbado.Aí acho que ninguém precisa desse patético depoimento em rede mundial.Pra que? Se amanhã tudo pode e com certeza vai mudar e eu não vou poder ficar transferindo essa responsabilidade cada ano pra uma pessoa. Bom, podemos nos abraçar e tentar chegar juntos até o carro vai ser divertido. Ai, a conta! Alguém se lembrou de pagar?
Você já se apaixonou por um sorriso? Um sorriso, isso mesmo... É um amor platônico, hum essa é uma palavra da qual não entendo e se não entendo não gosto. Procurar seu significado no dicionário não vai adiantar porque eu vou não continuar entendendo...porque pra mim se eu não sinto, não compreendo. Que raio é esse tal de amor platônico?Sei não! Eu to é falando desses que você sabe que infelizmente não vai poder pegar amassar, revirar, jogar pra cima, se jogar em cima, lamber, comer, beber... enfim...mas você pode sonhar...Ah! Isso ninguém tira de ninguém. O sorriso tá ali, bem na sua frente, e você vê através dele a alma que se abre, como se fosse uma flor desabrochando.Tem sorriso tímido, tem meio sorriso, sabe como é? Aquele sorriso pequeno, esquisito, você não sabe se a pessoa sorriu porque sorriu ou se sorriu pra não ficar chato. Também tem aquele sorriso exagerado, aquela gargalhada deliciosa que sai lá do fundo e vem num ímpeto que você não consegue controlar.Mas tem o sorriso, simplesmente o sorriso.Ah! Esse não tem quem explica, não mesmo... Ele é doce, simples, verdadeiro, ele é lindo. Ele desnuda a alma revelando segredos tão íntimos que só mesmo quem presta atenção a um sorriso assim consegue compreender.Gosto de ver alguém sorrindo, sou capaz de ficar horas olhando para um sorriso assim.E de repente me dar conta que apenas por aquele sorriso seria capaz de perder a cabeça ou o que ainda me resta dentro dela. _ Um café por favor_ Com açúcar. Detesto café com adoçante. É incrível como o mundo virtual facilita nossa vida e ao mesmo tempo nos enlouquece. É fácil fazer cálculos, melhor, não é mais necessário fazê-los, é bom demais pra se falar com quem está longe, porque nos dá a sensação de estar mesmo perto. Até sexo se faz virtual. Acho esquisito, mas não vou questionar. Não tem toque, e sem toque é esquisito. Não tem sorriso virtual, você não sabe se o camarada sorriu ou se deu risada ou se de repente não teve nenhuma dessas emoções. Mas uma foto consegue captar e eternizar um momento ou um sorriso. E você é capaz de ficar uma eternidade olhando para um sorriso, tentando decifrar aqueles mistérios, aquela pureza que se estampa ali, bem no meio de um rosto. Gosto de tentar adivinhar as histórias de vida que cada um leva por detrás de um sorriso, ou de uma dor, de uma lágrima.Não não gosto de Lágrimas, elas me comovem demais da conta.Sofro junto, choro junto...já o sorriso não,ele não me comove, ele me contagia, ele me fascina, me envolve com uma luz cheia de magia, cheia de vida.Não preciso saber seu nome, se você me der um sorriso.Tá explicado tudo e podemos pedir outro café_ Com açúcar e com afeto, fiz seu doce predileto...
Posso perfeitamente ter caído numa tarde qualquer de algum para queda perdido ou quem sabe ter sido atirada por uma nave espacial, por total desapego ou por dedicação excessiva. Enfim algo que já não servia mais, um ser em desuso, desatualizado, desconfigurado, com recomendação urgente para se fazer uma formatação. Mas a emoção é sempre a mesma:Mãos frias, corpo tremendo,coração saindo pela boca,a cabeça não racionaliza,você quer se jogar no outro, se fundir, entrar,errar a porta, entrar no banheiro masculino e não se dar conta.Tomar uma vodca como se fosse água, pedir a conta e se lembrar que esqueceu a bolsa em casa.Você pergunta se fez muito frio, ou olha para o céu e repete aquela interminável frase:_Acho que vai chover! Qualquer coisa nesse momento pode ser útil, qualquer coisa, mas olha só, quer saber? Vai lá cara, vai lá e vive tudo isso, porque ninguém sabe se haverá outro dia de chuva. O amor não é um dia de sol, está mais para uma tempestade, mais para um terremoto, vendaval, qualquer acidente natural. Sobe essa escada sem elevador, entra na porta que estiver aberta, senta na cadeira que estiver mais próxima e não faz pergunta. Veste o primeiro moletom que você encontrar entra num ônibus qualquer porque o importante não é onde você vai descer, mas a paisagem que você verá durante o percurso. Quando descer em qualquer ponto abraça esse Amor, ainda que ele doa, ainda que ele queime, arda, sangre,ainda que falem, abraça assim mesmo, não solta, não escuta, perdoa. Deixa pra depois... aí você resolve se vai levar o guarda-chuva ou não.
Ah! Te falei meu nome?
Ana!
Se eu me arrependo?Não! De nada. Se faria tudo igual?Não! Algumas coisas mudaria, mas não por arrependimento, por discernimento, por sabedoria, por inteligência. Costumo não pensar antes de agir, depois me arrependo dessa impulsividade, desse descontrole que me leva sempre a seguir e ouvir somente meu coração. Por outro lado, poderia escrever um romance nascido de um Botequim na Lapa, de uma mesa de compositores, de músicos, de bêbados, de putas, acho até que tem muito mais a ver comigo mesma, onde o som se misturasse as vozes cada vez mais altas e os copos virassem rápidos trazendo uma embriagante brisa as cabeças atormentadas pela poesia. Ou quem sabe de uma batucada na madrugada. Gosto dessa diversidade dessa coisa eclética que se mistura e me fascina. Me fascina estar misturada. Acho que esse amor tem mesmo que vir dessa mesa na Velha Lapa e tem que ser pegador, malandro, boêmio, daqueles que dão trabalho, sabe como é? Que você tem que fritar o peixe de olho no gato todo dia. Daqueles que você carrega pra casa de porre, tira a roupa, depois beija e fica horas olhando enquanto ele dorme, como que velando seu sono, ou tomando conta mesmo, porque se ele vomitar, pode se engasgar. Daqueles que você tem que fazer oferendas aos Orixás, fazer reza simpatia, macumba pra afastar as outras do caminho. Gosto disso. Acho que esse é meu tipo, porque o malandro sabe amar, sabe fazer uma mulher feliz, porque esse homem é aquele que se mistura e me fascina. Tem pegada. Se chover talvez eu vá. Preciso ver a previsão do Tempo e saber se posso viajar com segurança. Afinal cuidados básicos são essenciais á sobrevivência da espécie. Não se anda por aí, dando bobeira não. Gosto desse final; Gosto de me questionar de que raça sou e a que planeta pertenço de fato. Gosto de escrever coisas que não se combinam mas que eu entendo muito. Não sei se existo, mas sei que carrego um veneno mortal á espécie humana. Mordo e Mato e se não Mato, Mordo. Ah! Escrevo... Falo o que penso o que sinto... Droga... droga.
Tenho um sonho, sonho mesmo, desses que você sonha á noite... sonho em ter uma pequena casa branca cheia de flores coloridas, de onde eu pudesse ver o mar, assistir todos os dias o sol nascer e o sol se por ao cair da tarde, deixando uma cor laranja no céu. Onde eu escutasse a música do meu próprio coração e estivesse mais distante das coisas da cidade. Onde pensar no futuro seria apenas pensar no dia seguinte, nas folhas secas que eu veria voarem com o vento a brincar, formando círculos ao redor de si próprias. Um lugar onde eu sentisse o pulsar da minha alma, onde eu pudesse viver com pessoas simples, mas que carregam tantas histórias, tantas sabedorias em suas pequenas bagagens. Ouvir histórias. Gosto de ouvir histórias. Não mais me preocupar se vão gostar de mim porque eu sou bonita, ou feia, porque tenho dinheiro ou não.Um lugar onde eu pudesse e tivesse tempo de ler todos os livros que eu quero,declamar todas as poesias que eu carrego dentro de mim e que ás vezes parecem querer explodir,se atropelar nos meus pensamentos. Onde eu pudesse falar sozinha e não tivesse que me preocupar no que as pessoas estivessem pensando. Falo sozinha? Não, Não falo sozinha, falo comigo mesma. Preciso conversar com meu coração,ouvir minha alma, preciso saber de mim mesma o que procuro. Um lugar onde houvesse festas, que são realizadas na rua, onde todos participam, onde se dança com o vestido mais simples e mais florido que se tem, onde se canta e se namora... Onde se sonha. E quem sabe daí nascesse um belo romance daqueles bem açucarados, com gosto de mel enrolados uma vela amarela e oferecido aos pés de Oxum num bonito trabalho de amarração. Romance mesmo, daqueles onde se é a princesa e estivéssemos na eterna espera do príncipe encantado. Mas encantado de verdade, porque senão não é príncipe e não tem graça. To procurando um para viver uma linda e perpétua história de amor: ”E foram felizes para sempre!” Valei-me minha mãe de Oxum!Saravá! Só mesmo sendo Filha de Oxum pra poder explicar esse temperamento instável e elástico; essa teimosia, essa irreverência, esse amor exagerado e manhoso, essa ousadia que atravessa meus miolos e sai em forma de sons ou de palavras escritas numa folha qualquer. Oxum tem o humor caprichoso e mutável. Dizem que em alguns dias, suas águas correm aprazíveis e calmas, elas deslizam com graça, frescas e límpidas, entre margens cobertas de brilhante vegetação. Numerosos vãos permitem atravessar de um lado a outro.
Outras vezes suas águas, tumultuadas, passam estrondando, cheias de correntezas e torvelinhos, transbordando e inundando campos e florestas. Ninguém pode atravessar de uma margem à outra, pois ponte nenhuma as poderia ligar. Oxum não toleraria uma tal ousadia! Quando ela está em fúria, ela leva para longe e destrói as canoas que tentam atravessar o rio. Tá explicado minha bipolaridade, isso mesmo... Não é a psiquiatria que vai me diagnosticar e sim minha mãe Oxum, a Rainha das Águas Doces.
Amo Poetas e Poesias, por isso tento seguir e trilhar os caminhos da alma e do coração. Sou do Mundo, minha casa é meu tesouro, meu coração, minha família e meus amigos meus bens mais preciosos, não tenho raízes para me prender, apenas para me alimentar. Sou do Samba, do Carnaval e da Alegria. Sou Peregrina, Caminhante e Pensante. Sou Temperamental, Ciumenta, Instável, Mimada, Disciplinada, ás vezes Preguiçosa; Amo dormir até tarde, mas acordo muito cedo, sou apaixonada por brigadeiro, mas como alface com cenoura porque é saudável; adoro um lugar tranqüilo, um fim da tarde, um café, um piano bar, mas só freqüento altas baladas, roda de samba e pagode; amo música clássica, mas carnaval no Rio é pra onde eu vou todos os anos; gosto de chá de canela com hortelã, mas tomo vodca com limão; amo o mar, mas, detesto pisar na areia; adoro chuva, mas odeio me molhar; curto a natureza, mas nunca acamparia; não sou beata, mas os terços são uma paixão e entrar em igrejas também; sempre rezo e sempre choro em frente a um altar; declamo poesias, canto e danço para afastar energias ruins, não sou boa, também não sou ruim, ou melhor, sou boa, ás vezes sou ruim, ou será que sou ruim e ás vezes sou boa... Vai entender... Quem sabe algum dia; nunca sei o que quero, mas sempre sei o que não quero. Sou organizada, mas não sou neurótica, ás vezes o Caos faz parte do meu dia. Não sei se estou perto ou longe demais, se peguei o rumo certo ou errado. Sei apenas que sigo em frente, vivendo dias iguais de forma diferente. Acho que viver é a mais fascinante de todas as experiências. E o Amor o mais traiçoeiro de todos os sentimentos, mas conjugá-lo no modo presente e afirmativo ainda é fazer parte das poucas e corajosas pessoas que o desafiam todos os dias.
Amo escrever... Amo transformar pensamentos em palavras e depois escrevê-las. Amo fuçar a alma humana, pensamentos, emoções, desafiar os verbos dentro das frases, tentar combiná-los com os substantivos, adjetivos e ver tudo isso transbordando em sentimentos, poesias, músicas... Assim escrevo meu perfil dentro do meu Blog. Difícil descrever nós mesmos porque, por mais leais que tentamos ser sempre puxamos a famosa sardinha pro nosso lado. Não sou diferente, mas conheço meu Cisne Negro e é em cima dele que tento fazer os aprendizados que a vida me propõe,sei que onde existe luz existem sombras. Ás vezes bato de frente com algo ou alguém, vou até o fim quando acho que estou certa, mas, aí é que mora o perigo... nem sempre sei se estou certa.Subo os degraus, desço,tento apanhar o elevador no andar de cima, tomar um ônibus, um taxi que me leve onde estão as respostas que eu busco.Não sei lidar com a mágoa, com a injustiça e com a decepção, não sei mesmo.Fico pra morrer quando acredito em alguém e vejo que me enganei.Fico pra morrer comigo por ter me deixado enganar e com o outro a quem depositei confiança e me abraçou pelas costas.Mas sei que não posso me deixar abater por situações assim e muito menos por pessoas pequenas.Sou dura? ou mole? Não sei... Acho que dura e mole. Sou um misto de sentimentos e emoções selvagens demais para serem compreendidas. Minha vida era estudada, planejada, traçada, estruturada mas, um dia tudo ruiu, veio abaixo,não sobrou nada... Talvez fosse Dezembro ou Janeiro, durante as tempestades de verão, não me lembro mais, só sei que aprendi a não planejar mais nada, somente viver. E amanhã? Amanhã? Respondo:_É Segunda. Não tenho idade, ao invés de dizer tenho tantos anos, digo: Tenho muitos amigos, muitas paixões, algumas tristezas, alguns problemas, Duas filhas, Dois netos e dezenas de Prazeres.
Não tenho mais Planos, Sigo,Gosto de pagar pra ver... Gosto de viver, de ver, pegar, ouvir, cheirar, chorar, sorrir... Sou devota de Nossa Senhora da Glória, subo a escadaria da Penha todos os anos, sou filha de Oxum, Aquariana, Teimosa, Vaidosa, Independente, Exagerada, São Paulina, Sou Rosas de Ouro, mas a Vai Vai me enche de alegria, Sou Mocidade de Padre Miguel, mas o vermelho do Salgueiro incendeia meu corpo e meu coração e nunca poderei definir aquele azul, que não era do céu, nem era do mar, mas, que foi um rio que passou em minha vida e meu coração se deixou levar... Portela. Sou Cartola, Pixinguinha, Noel e Adoniram Barbosa, Sou da Velha Lapa e do Bexiga e acredito nisso tudo, no amor, no sorriso, na poesia e na alma. Sou Cigana, tenho cor e tenho luz e tenho brilho. Gostar de mim é um desafio, uma prova de fogo, não deve ser fácil não conviver com um ser tão controverso.
FÃ É FÃ!

sábado, 5 de março de 2011

sexta-feira, 4 de março de 2011

Panos e Planos

Moyseis Marques
Composição: Luis Carlos Máximo/ Moyseis Marques

Ganhei naquela parada, nega
E já comprei uma casinha branca
Cozinha ladrilhada
Tem samambaia e rede na varanda
Um extenso lajeado
Pra se curtir nos domingos de sol
Com churrasquinho e futebol
Espaço "pras" crianças
Na vizinhança canta um rouxinol

Traz um caixote "pros" livros
E "pro" jogo de jantar
Faz um feijão "pros" amigos
Bota um choro "pra" tocar
Traz nossos panos e planos
Pinga pro santo que hoje eu vou casar
Estabiliza as contas neguinha
Economiza e compra a blusinha
A branca de rendinha
Do balcão da Terezinha
Pode encomendar
E vai calçando os meninos
Brincadeira em Paquetá
Passando por Madureira
Trago uns mimos "pra" lhe dar
Tô com mamãe na Mangueira
Dessa maneira hoje eu não vou chegar
E num sopapo eu volto "pra escola"
Vou aprender cavaco e viola
E chega de demanda
O novo tema do meu samba
É muito amor pra dar.

Ganhei naquela parada, nega...

Emilio Santiago e M.M

quinta-feira, 3 de março de 2011

E ELE AINDA CANTA!!!!!!!!!!!!!!!!!

Ela é minha cara

Mart'nália
Composição: Ronaldo Bastos

Causa reboliço aonde passa,
Desce mais redondo que a cachaça...
Ela é a fulana de tal,
O seu palácio vai do Leme ao Pontal,
É a minha mais entre as dez mais.
Ela é gente bem,
Por isso mesmo não dá mole a ninguém,
Mas um dia eu faço ela sambar.

Ela é o colírio da moçada
Quando chega pára a batucada.
Ela é o jazzy,
E há quem diga que parece um rapaz,
Mas quem fala é louco pra encarar.

Ela é minha cara
E nem me olha quando a gente se esbarra,
Mas um dia eu faço ela sambar.
Tira onda de granfina ,
Mas p mim é só a mina
Que enfeitiçou meu coração.
Vai que um dia pinta um clima
E ela vem parar na minha
E eu vou comer na sua mão...

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Que bom que eu sou doida e santa...sorte a minha viver a vida com prazer e querer tudo que ela me dá....sorte a minha...

Eu só conheço mulher louca. Pense em qualquer uma que você conhece e me diga se ela não tem ao menos três dessas qualificações: exagerada, dramática, verborrágica, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante. Pois então. Também é louca. E fascina a todos. Todas as mulheres estão dispostas a abrir a janela, não importa a idade que tenham. Nossa insanidade tem nome: chama-se Vontade de Viver até a Última Gota. Só as cansadas é que se recusam a levantar da cadeira para ver quem está chamando lá fora. E santa, fica combinado, não existe. Uma mulher que só reze que tenha desistido dos prazeres da inquietude, que não deseja mais nada? Você vai concordar comigo: só sendo louca de pedra.

MARTHA MEDEIROS(DOIDAS E SANTAS)
È bom sempre deixar claro que tudo que eu escrevo, não tem um destino e nem é dirigido a ninguém especialmente.São trechos de poemas que eu escrevo, ou que outras pessoas escrevem,músicas e poesias que eu amo e é claro fatos da minha vida, análises, reflexões que eu vivencio e passo para o papel...mas se servir de consolo...ou aquele dito popular:"Se a carapuça servir..."Bju

Onde a Dor Não Tem Razão

Teresa Cristina e Grupo Semente
Composição: Paulinho da Viola / Elton Menezes

Canto
Pra dizer que no meu coração
Já não mais se agitam as ondas de uma paixão
Ele não é mais abrigo de amores perdidos
É um lago mais tranqüilo
Onde a dor não tem razão
Nele a semente de um novo amor nasceu
Livre de todo rancor, em flor se abriu
Venho reabrir as janelas da vida
E cantar como jamais cantei
Esta felicidade ainda

Quem esperou, como eu, por um novo carinho
E viveu tão sozinho
Tem que agradecer
Quando consegue do peito tirar um espinho
É que a velha esperança
Já não pode morrer

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

RARIDADE

ADONIRAN BARBOSA
VELHA GUARDA DO SAMBA
VIVA SÃO PAULO
VIVA O BEXIGA!

Vila Esperança!

Adoniran Barbosa

Vila Esperança, foi lá que eu passei
O meu primeiro carnaval
Vila Esperança, foi lá que eu conheci
Maria Rosa, meu primeiro amor

Como fui feliz, naquele fevereiro
Pois tudo para mim era primeiro
Primeira rosa, primeira esperança
Primeiro carnaval, primeiro amor criança

Numa volta no salão ela me olhou
Eu envolvi seu corpo em serpentina
E tive a alegria que tem todo Pierrot
Ao ver que descobriu sua Colombina

O carnaval passou, levou a minha rosa
Levou minha esperança, levou o amor criança
Levou minha Maria, levou minha alegria

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Dançar!

A dança não é só uma atividade, um prazer, ela é muito mais do que tudo isso...é alma, a gente dança com a alma...tudo o mais se desliga nesse instante, e a conjunção é perfeita...você confia no seu parceiro, se entrega aos seus comandos como se entrega á vida...dançar e viver, dois verbos que se conjuga sempre no presente...

Quando danço meu corpo faz uma conexão com o universo e eu me sinto plena...plena de vida, plena de alegria...é como se a dança me fizesse transbordar da própria vida...ela me abastece, me dá forças...o que são quatro noites de carnaval? atravessar uma Sapucaí com salto alto,bolhas, peso da fantasia? Isso tudo depois de ter seguido várias bandas por vários quilômetros de ruas, entupidas de gente...gente que você nem vê...porque seu corpo está li, mas sua alma viaja muito, mas muito longe de tudo...viaja ao som de uma melodia que invade e se molda ao seu corpo formando um bolo só...não se sabe o que é corpo, o que é alma...onde está a fantasia...
Eu sou o Rei da Boemia
Carioca, sou da Lapa, patrimônio cultural
E me banhei de alegria, tiro onda, dou meu jeito
Minha vida é um carnaval
E deixa o sol bronzear
No calor do meu Salgueiro
Eu sou raiz desse chão

E canto a minha emoção
Salve o Rio de Janeiro
Canta meu Salgueiro!

domingo, 23 de janeiro de 2011

Uma história de amor
Sem ponto final
"academia do samba" é salgueiro
No "livro do meu carnaval"

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Do Jeito Que a Vida Quer

Benito Di Paula

Ninguém sabe a mágoa que trago
No peito, e quem me vê sorrir desse jeito
Nem sequer sabe a minha solidão

É que meu samba me ajuda na vida
Minha dor vai passando esquecida
Vou vivendo essa vida do jeito que ela me levar (2x)

Vamos falar de mulher
Da morena e dinheiro
Do batuque do surdo
E até do pandeiro
Mas não fale da vida
Que você não sabe o que eu já passei

Moço
Aumente esse samba que o verso não para
Batuque mais forte e a tristeza se cala
E eu levo essa vida do jeito que ela me levar

É do jeito que a vida quer
É desse jeito...(2x)

sábado, 15 de janeiro de 2011

Noel Rosa

Com Que Roupa?

Agora vou mudar minha conduta, eu vou pra luta
pois eu quero me aprumar
Vou tratar você com a força bru.....ta, pra poder me
reabilitar
Pois esta vida não está sopa e eu pergunto: com que roupa?
Com que roupa que eu vou pro samba que você me convidou?
Com que roupa que eu vou pro samba que você me convidou?
Agora, eu não ando mais fagueiro, pois o dinheiro não
é fácil de ganhar
Mesmo eu sendo um cabra trapacei.....ro, não consigo ter nem pra gastar
Eu já corri de vento em popa, mas agora com que roupa?
Com que roupa que eu vou pro samba que você me convidou?
Com que roupa que eu vou pro samba que você me convidou?
Eu hoje estou pulando como sapo, pra ver se escapo
desta praga de urubu
Já estou coberto de farrapo, eu vou acabar
ficando nu
Meu paletó virou estopa e eu nem sei mais com que roupa
Com que roupa que eu vou pro samba que você me convidou?
Com que roupa que eu vou pro samba que você me
convidou?

Clara Nunes

Conto De Areia

É água no mar, é maré cheia ô
mareia ô, mareia
É água no mar...
Contam que toda tristeza
Que tem na Bahia
Nasceu de uns olhos morenos
Molhados de mar.
Não sei se é conto de areia
Ou se é fantasia
Que a luz da candeia alumia
Pra gente contar.
Um dia morena enfeitada
De rosas e rendas
Abriu seu sorriso moça
E pediu pra dançar.
A noite emprestou as estrelas
Bordadas de prata
E às águas de Amaralina
Eram gotas de luar.
Era um peito só
Cheio de promessa era só
Era um peito só cheio de promessa (2x)
Quem foi que mandou
O seu amor
Se fazer de canoeiro
O vento que rola das palmas
Arrasta o veleiro
E leva pro meio das águas
de Iemanjá
E o mestre valente vagueia
Olhando pra areia sem poder chegar
Adeus, amor
Adeus, meu amor
Não me espera
Porque eu já vou me embora
Pro reino que esconde os tesouros
De minha senhora
Desfia colares de conchas
Pra vida passar
E deixa de olhar pros veleiros
Adeus meu amor eu não vou mais voltar
Foi beira mar, foi beira mar que chamou
Foi beira mar ê, foi beira (2x)

Moisés

E da escuridão, a luz se fez...
Enorme clarão iluminando o nada...
Fagulhas de luz se derramaram sobre todos os astros
Que em sincronia, começaram a se movimentar
A emitir e a sentir, emanações de calor
E a enorme luz explodiu...
Se partiu... Se repartiu...
Se fez...E...Se desfez...
Se desmanchou em mil pedaços
E deles nasceram seres a emitir e a sentir
Emanações de vida... Inteligência... Beleza...
Harmonia e amor...

Moisés

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

AMIGOS
VAMOS DOAR SANGUE PARA QUEM PRECISA.
HEMORIO:Rua Frei Caneca, 8
Rio de Janeiro - RJ, 20211-030
(0xx)21 2332-8611
Metrô: Central
Ajude-me na divulgação, repasse para seus amigos!

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Quer um conselho?
Não se iluda comigo...

Disse que te amo?
Não foi por acaso...
Te magoei?Desculpa...
Te xinguei?Você mereceu...
To nervosa?Nem chega perto...
O que eu fiz?Não te interessa...

Falou o que quis?Ouviu o que mereceu...
Me perdeu?Que pena!Não deu valor outro levou!
Inveja?Ninguém merece...
Acabou?Você supera...
Criança ou adulto?Depende...
Amigos?Tenho uns melhores...

Te abracei?Quero de novo!
Sinto saudades de você?Porque você foi especial...
O mundo?Além de pequeno, dá voltas...

Ah é?Prova então...

Amores? São coisas da vida...
Solteira?De solidão...
Casada?Com a liberdade...
Namora?Minha vida...

Pra te agradar?Não vou mudar...
Minha conduta?Depende da sua... Sobre mim?

Pense o que quiser!
Eu sei amar.
Mas não sei fugir.
Por isso, não tente me parar.
Não me peça para não ir.
Não me diga para tomar cuidado, eu não sei amar mais ou menos.
Quando eu decido, eu vou.
Me entrego me arrisco, me corto, me estrepo azar meu, sorte minha que nasci assim: vim ao mundo para sentir.
Meu coração se esgarça, a vida se desfaz me embolo em mim mesma, dou nó. E daí?
A vida é minha.
O amor é meu.
Me dou de bandeja pra quem eu quiser.

Você aí quer?
Quer mesmo?
Então leva.
Mas leva tudo.
Leva e não devolve.
Só devolve se eu pedir.

Amor não tem garantia, mas tem devolução.
Pode começar do nada, pode acabar de repente, pode não ter fim.
Mas tem sempre o meio.
Amor tem gosto de pele, língua e segredo.
Amor tem gosto de cobertas, descobertas e travesseiro.
Toda mulher é uma surpresa, uma torta mil-folhas, um bombom diferente em um lindo papel celofane.
Quer provar?
Eu posso acordar doce, ficar amarga e até dormir ácida sem você perceber.
Mas eu quero que você perceba.
Eu quero que você se alimente do que há de melhor e pior em mim.
Eu quero te mostrar cada gosto, te misturar, te revirar o estômago, te virar do avesso, jogar a receita fora.

(Nada de banho-maria!).
O amor não tem regras, o desejo não tem limites.
Minha boca é do tamanho do meu coração.
Por que você procura tanto se você já me encontrou?
Eu imperfeita pra você, você mais que imperfeito pra mim!
• E será inútil esforçar-se para esquecer - tudo o que um dia se misturou carregará consigo partículas do outro. Talvez venha o arrependimento, o recomeço, as cores voltem a brilhar como antes - mas não se pode contar com isso. Não se pode contar com nada. O único caminho viável é viver e correr o sagrado RISCO DO ACASO. E substituir o destino pela probabilidade."

Clarice Lispector

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Para o Pequeno Príncipe.....

.Nossa, há quanto tempo...Como vão as coisas no seu pequeno planeta? Aqui, no meu, andam imensamente estranhas_ muito baobá para pouca flor, se é que você entende meus simbolismos.
Quem sempre fala de você é aquela ex-miss que vivia chorando por sua causa lembra? Ela me contou da sua amizade com a Raposa.
Príncipe, como você é meu amigo de infância, não posso deixar de alertá-lo. Cuidado com a Raposa.Ela parece uma coisa, mas é outra.Faz-se de fofa e é uma cobra, uma chantagista.
Quando a conheci, ela disse que não podia conversar comigo, pois não sabia quem eu era. “A gente só conhece bem as coisas que cativou”, ela falou, toda insinuante.
Respondi que, se nós duas nos cativássemos, ela ficaria triste quando eu fosse embora. Foi quando saquei que ela queria ter um cacho comigo, pois a Raposa pegou no meu cabelo_ eu estava loira na época_ e disse que tudo bem, porque ela olharia os campos de trigo e se lembraria de mim.

Marcamos um encontro para o dia seguinte,ás 4.E ela me pediu para chegar ás 4 em ponto, dessa forma ela ficaria feliz desde ás 3 somente por esperar o momento do nosso encontro.Achei estranho, mas pensei que fosse charme.Não era.
Cheguei 15 minutos atrasada e a Raposa surtou.Falou que nós somos eternamente responsáveis por aquilo que cativamos.E perguntou para mim, olhando diretamente nos meus olhos, se eu tinha consciência de que “perder tempo” com o outro é o que faz essa história importante.Percebeu o tom da chantagem? Ela joga na cara tudo o que faz em nome do outro. Ela deseja afeto, mas o quer como uma responsabilidade de mão única. Porém, também somos responsáveis quando nos deixamos cativar_ relacionamentos são vias de mão dupla.

A Raposa exige a certeza de um compromisso com hora marcada, impondo regras á troca afetiva. As regras dela, claro, já que ela quer todo o afeto a favor do seu bem- estar. Chega a ponto de dizer que será feliz porque você virá. Como se a felicidade fosse algo condicionado ao outro, á espera do outro, ao encontro com o outro.

Veja que coisa infantil. São as crianças que precisam de horários certinhos e de associar suas emoções ás pessoas com quem se relacionam. Sentindo prazer ou desprazer diante da ausência ou presença da mãe ou do pai ou de quem quer que seja. Na criança, ainda não há um universo interior, entendeu? Quando nós crescemos, temos de conseguir ver o mundo através das nossas perspectivas, Enxergar a beleza de um trigal sem nos lembrarmos de ninguém.

A Raposa, como uma criança assustada, quer que aqueles que a amam estejam com ela na hora em que ela deseja. Achando que eles são “responsáveis” pela felicidade dela. Ou seja, o outro lhe deve algo por tê-la cativado.
Desde esse dia, não falo mais com ela. E aconselho você a fazer o mesmo.Ela não é flor que se cheire.Saudades distantes.

Verdade Chinesa

Verdade Chinesa

Emílio Santiago
Composição: Carlos Colla/Gilson

Era só isso
Que eu queria da vida
Uma cerveja
Uma ilusão atrevida
Que me dissesse
Uma verdade chinesa
Com uma intenção
De um beijo doce na boca...

A tarde cai
Noite levanta a magia
Quem sabe a gente
Vai se ver outro dia
Quem sabe o sonho
Vai ficar na conversa
Quem sabe até a vida
Pague essa promessa...

Muita coisa a gente faz
Seguindo o caminho
Que o mundo traçou
Seguindo a cartilha
Que alguém ensinou
Seguindo a receita
Da vida normal...

Mas o que é
Vida afinal?
Será que é fazer
O que o mestre mandou?
É comer o pão
Que o diabo amassou?
Perdendo da vida
O que tem de melhor...

Senta, se acomoda
À vontade, tá em casa
Toma um copo, dá um tempo
Que a tristeza vai passar
Deixa, prá amanhã
Tem muito tempo
O que vale
É o sentimento
E o amor que a gente
Tem no coração...

(Repetir a letra)

(Final):
Senta, se acomoda
À vontade, tá em casa
Toma um copo, dá um tempo
Que a tristeza vai passar...
Deixa, prá amanhã
Tem muito tempo
O que vale
É o sentimento
E o amor que a gente
Tem no coração...(2x)

Por causa de você!

Por causa de você!

Só você não vê
Fingi que não sabe
Que estou sofrendo
Por causa de você

Sonho que não vem
Luzes da cidade
E eu me sinto só
Por causa de você

Eu te quero tanto
Tanto que nem sei dizer
E a felicidade pra mim
É nunca perder você

Peço pra uma estrela
Pra te convencer, em fim
Que não sou ninguém sem você
E não há você sem mim

Declaração de Amor!

Eu te amo do amanhecer ao anoitecer e mesmo quando durmo ainda te amo.
Eu te amo nas três dimensões, nas quatro luas, nos quatro elementos, nas quatro estações, nos quatro pontos cardeais.

Eu te amo nos cinco sentidos, nas sete cores do arco-íris, nas sete notas musicais, nos doze signos do zodíaco, em tudo que existe eu te amo cada vez mais.
Eu te amo na procela e na calmaria, em todos os Josés e Marias, nos infantes, nos anciãos, nos amigos, inimigos ou irmãos...

Eu te amo em toda criação.
Eu te amo no caos aparente ou na mais perfeita estrutura... Eu te amo como o próprio criador ama sua criatura.

Eu te amo no vento que vem do Norte, Na linha do horizonte, na pequena fonte, nas nuvens grávidas de chuva... Eu te amo nos meus dias nefastos e nos meus dias de sorte.

Eu te amo na árvore frondosa, na montanha majestosa, na pedra preciosa, nas miríades de estrelas do universo...

Eu te amo no pequeno átomo, na imponderável constelação, eu te amo para além de qualquer humana compreensão.

Eu te amo pelo pouco que sei de ti, pelo muito que ignoro e por aquilo que somente posso pressentir.

Eu te amo na plenitude da lida, no acaso da vida... E, depois que eu me for, nas lembranças que porventura eu deixar, hás de encontrar perfumados e palpitantes restos do que foi o meu amor!

Passione

Paixão Passione

Thaís Gulin

Composição: Ivan Lins

Paixão
Estopim aceso
Ai meu Deus
Que medo
Dele se apagar
Paixão
Minha adrenalina
Arde na retina
Quase a me cegar

Paixão
Faca de dois gumes
Preso por ciúmes
Livre pra voar
Paixão
Vale até mentira
Mas ninguém me tira
Meu enfeitiçar

Paixão
Indomável coração
Razão porque canto
Esta canção
Paixão
Ela é nossa saga
Leva e nos afoga
Salva e nos afaga
Nunca vai mudar

Passione
Nuostro vuolo checo (?)
È iluminnato (?)
Siemi solo a te (?)

Paixão
À primeira vista
Sentimento arrisca
Morre pra viver
Paixão
É minha tortura
É loucura e cura
Minha guerra e paz
Paixão
Meu certo e errado
Seguem bem casados
Parecem iguais

Paixão
Indomável coração
Razão porque canto
Esta canção
Paixão
Ela é nossa saga
Leva e nos afoga
Salva e nos afaga
Nunca vai mudar

Paixão
Passione
Passione

Sou um animal sentimental!

“Sou um animal sentimental•Me apego facilmente ao que desperta meu desejo”.
Em compensação, passado meu desejo,
Nem me lembro mais daquilo que tanto quis.
Tente me obrigar a fazer o que não quero
E você vai logo ver o que acontece.

Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade,
Quando tudo parece estar perdido me lembro que existem possibilidades.
Tenho a idéia, mas ás vezes os planos mudam.
Tenho um plano, mas ás vezes as idéias mudam.
Já passou, quem sabe outro dia,
Outro mês, outro ano, outra vida...
Antes eu dormia, dormia e não sonhava.
Agora já não durmo apenas sonho.
Quando foi que competimos pela primeira vez?
Não! Nunca competimos, porque eu sempre ganhei.
O que ninguém percebe é o que todo mundo sabe
Eu sou a vencedora.

Não entendo de terrorismo, entendo de amizade.
Entendo de amor.

Não estou mais interessada no que sinto
Interesso-me pelo que sei e pelo que sou.
Não acredito em nada além do que duvido
Se você espera respostas, faça perguntas...
E não espere de mim aquilo que eu não quero dar!
Você acreditou?
Pena...
Eu sou assim: instável, temperamental, dissimulada, ardilosa, sou capaz até de chorar...
Depois passa...
Esse é meu prazer...
Fazer acreditar que nada mais existe para mim naquele momento,
Fazer acreditar que posso morrer de amor...
Não posso, não quero e,
Jamais morreria de amor ou por amor...
Mentira, tudo mentira...
Mas eu me divirto...
Amor para mim não é chorado,
É vivido...
Não é morte,
É vida...
Não é mentira,
É verdade...
Portanto preste mais atenção daqui para frente,
Não acredite em tudo que vê ou em tudo que ouve,
Somente acredite naquilo que sente!”“.