Ana

Ana

quarta-feira, 30 de março de 2011

A vida é como jogar uma bola na parede: ...

A vida é como jogar uma bola na parede:
Se for jogada uma bola azul, ela voltará azul;
Se for jogada uma bola verde, ela voltará verde;
Se a bola for jogada fraca, ela voltará fraca;
Se a bola for jogada com força, ela voltará com força.
Por isso, nunca "jogue uma bola na vida" de forma
que você não esteja pronto a recebê-la.
A vida não dá nem empresta;
não se comove nem se apieda.
Tudo quanto ela faz é retribuir e transferir
aquilo que nós lhe oferecemos.

Albert Einsten

segunda-feira, 21 de março de 2011

Moyseis na lapa

Carnaval na Lapa

Você é linda, é tudo que eu sonhei na vida, é boa nisso, é boa naquilo, MAS...é nesse maldito MAS...que reside todos os nossos problemas.Então vamos ser claros e sinceros.Você é linda, adorei transar com você mas não tô a fim de nada além disso.Perfeito! Perfeito! Nada pior que a hipocrisia._Olha eu gosto de você, gosto mesmo, mas não estou numa fase boa.E existe fase boa pra se amar? Pra se ficar junto?Pra que inventar desculpas pra algo que está tão claro.Cara larga mão de ser FDP.Ás vezes penso que os homens ainda imaginam que somos burras, aquelas que foram criadas um dia para serem enganadas e aceitarem sem fazer qualquer questionamento.Pior ainda os babacas que só nos dão valor depois que perdem.Como pode alguém perder coisas, pessoas para dar valor? Ah! Tem que ser muito otário.O amor não é dado a essas esquisitices.Acontece uma empatia, uma atração, você curte aquilo uma, duas, três, sei lá, quantas vezes for bom...deixa acontecer...pode durar uma noite e ter valido por mil, pode durar meses, anos, só não pode durar mil noites e não ter valido por nenhuma, ou ficar acontecendo porque não há mais nada a fazer, ou porque a(o) minha(o) namorada(o) é linda(o).Ah! para o Mundo eu quero Descer!
Quero mesmo,e quero mandar tomar aquele famoso ônibus 147 da Linha Vá Se Ferrá!
Vem cá? Me dar valor depois que me perdeu?
Então é necessário que percamos tudo nessa vida...amor, trabalho, amigos, dinheiro, saúde, alegria de viver pra somente então entendermos o quanto aquilo tudo era importante?Quer uma coisa mais doida que essa?Será que não está na hora da gente crescer? Será que não está na hora de tomar uma Tequila e parar de falar tanta asneira?

quarta-feira, 16 de março de 2011

Eu te Amo!

"Eu te amo, e o meu amor por você tem gosto e tem cheiro... e tem cor.
È verde, e é laranja...
È doce, e é amargo...
È uma felicidade exagerada,
Uma lágrima de alegria,
È um conto mal contado,
Uma poesia inacabada.
È um amor que não se mede.
Um anjo roxo... e um demônio louco.
Um anjo que chora... e um louco que canta.
È um amor imenso,
Um ódio intenso.
Eu te amo, no silêncio do meu quarto,
Nas lágrimas de saudade,
Na solidão da minha alma.
È renuncia.
È morte, È ressurreição.
È luz, é branco,
È preto, escuro, são trevas...
Chora e ri,
Está tão longe,
Mas se sente tão perto.
Dói, sangra, arde, queima,
Tem a beleza do outono,
O frio do inverno,
Desabrocha na primavera
Quebra no mar durante o verão.
Se derrama feito leite,
Se espalha como a água,
E flutua, como um enorme balão colorido!”

Ana Fernandes

terça-feira, 15 de março de 2011

Todos nós temos pedaços amargos na vida. Não vou falar de nenhum deles, porque não quero falar de tristeza. Não quero escrever sobre a mágoa, sobre a decepção, isso é muito dolorido.A constatação de um fracasso é mil vezes mais suportável do que a constatação de uma decepção, de uma traição.E eu não falo aqui somente daquela traição homem/mulher.Não! Falo sobre deslealdade. Pra mim mil vezes a infidelidade do que a deslealdade. Bom se você não sabe o significado dessas duas palavras ou acha que as duas coisas são a mesma coisa, vou dar a definição das duas segundo o “Aurélio”

fidelidade
fi. de.li.da.de
sf (lat fidelitate) 1 Qualidade de quem é fiel; 2 Semelhança entre o original e a cópia. 3 Afeição constante: A fidelidade do cão. 4 Probidade. 5 Exatidão, pontualidade.

lealdade
le. al.da.de
sf (leal+dade) 1 Qualidade de leal; 2 Ação leal. Antôn: hipocrisia.

Então, muito embora as duas palavras possam parecer parecidas, elas tem significado diferentes... Na fidelidade existe ou não uma exatidão, uma pontualidade, uma semelhança, mas na deslealdade antônimo de lealdade existe uma hipocrisia. Os pedaços ruins servem apenas como lições, se é que aprendemos numa única vez... então tentar fazer da melhor maneira possível é sempre um bom caminho, para que eles passem batidos e aprender a não nos demorarmos muito nesses pedaços.Caramba, passei por maus pedaços, mas quer saber? Já foram e hoje procuro nem pensar mais neles porque de nada serve ficar se martirizando ou então ficar se culpando... ”devia ter feito assim... devia ter feito assado...” Aquilo que não deu certo ou não está dando certo é porque é preciso mudar, e mudar dói. Não existe mudança sem dor.Porque ela marca uma passagem, algo que termina e algo que começa...droga, até para se libertar das tranqueiras é difícil e dolorido.Não é fácil dizer...Acabou e realmente ter acabado...é um processo demorado, mas sempre necessário.Mas ainda com todos os pedaços ruins que a gente vive, porque vive, é bom viver nossas histórias até o fim, vivê-las por inteiro, sem culpa, sem se atormentar com o eterno CERTO e ERRADO. É bom viver histórias, porque vivê-las é ter lembranças, é ter o que contar, o que recordar.Quem tem medo, não vive, não tem o que falar, só conta tristezas, depressões, só conhece a solidão.Alguém que não vive um história por medo, por covardia ou imaturidade não conhece o sabor da aventura, a adrenalina da paixão, o desejo.Só sabe contar fracassos,vive escondido do mundo em busca de nem se sabe o que.Para! Para e toma o ônibus 147:_ Linha Vá se Ferrá!E desce na última parada, porque se descer antes vai se perder outra vez.Que saco! No ponto final pergunta qual ônibus vai pra Cidade dos Babacas e sobe nesse e segue em frente e faz favor, não olha pra trás, porque a paisagem é desoladora, mas pra onde você vai tem tanto babaca reclamando da vida que você vai acabar achando bacana.È lá sua praia.Poluída, mas tudo bem...pra sua cabeça tá é mais do que bom.

segunda-feira, 14 de março de 2011

domingo, 13 de março de 2011

Sensível demais!

Dizem que ás Vezes as fadas costumam dançar em círculos sobre a erva verde, em baixo de velhos carvalhos ou em vales floridos, esta dança é chamada de o anel das fadas. A visão desse espetáculo é muito perigosa para o ser humano. O suave encantamento da música das fadas seduz e arrasta o espectador para dentro do anel.
Ali comem ou bebem o alimento mágico, tornando-se, assim, para sempre escravos desses seres sobrenaturais. A dança das fadas é um saltitar selvagem que lembra um pouco o ditirambo do culto de Dionísio. A dança parece durar apenas uma ou duas horas, mas o tempo real de duração é de sete anos.
Diz à lenda que as fadas são excelentes musicistas e a sua música possui especial magia e muitas canções, hoje conhecidas no mundo dos homens, têm a sua origem no mundo das fadas. Esses espíritos são fascinados por música e os músicos humanos de grande habilidade correm o risco de serem raptados por esses seres e levados ao seu reino para que seu talento seja apreciado por uma corte de fadas e outros seres espirituais. As melodias das fadas são marcadas por um som plangente, mas selvagem que, há um tempo, encanta e seduz. A pessoa que tiver o infortúnio de escutar esses sons mágicos sentirá, inicialmente, uma grande sensação de paz, até que adormece para não mais despertar. Seus instrumentos principais são: a flauta, a gaita, o violino e outros instrumentos fantásticos desconhecidos dos seres humanos. Nesse Pedaço fico fascinada, pois quando li isso em algum lugar me questionei sobre a magia que a música causa aos seres humanos. Ela encanta, seduz, contagia, inebria, porque as duas, música e dança são ligadas como se fossem almas gêmeas, impossível, uma sem a outra. Nosso corpo dança mesmo sem saber dançar ao ouvir uma melodia.O corpo se entrega, entra numa espécie de transe e quando você se dá conta ele se movimenta suavemente ou freneticamente sem se importar com nada.A música não racionaliza, em determinado momento seu corpo dança sem se importar se está certo ou errado, técnica? Existe? Claro, mas não quando se está comprometido com a música. Ela é uma viagem para dentro de nós mesmo e para fora, para alguma lugar que só a alma conhece e nos guia. Dançar é se entregar, é confiar no seu parceiro, se entregar á ele, como se entrega e se confia na vida.Penso então que os poetas e compositores freqüentemente são raptados por esses seres mágicos e seu deslumbramento é tão grande que são contagiados pela Inspiração.ela só pode vir de um lugar mágico onde muito poucas pessoas conseguem entrar e sair, sair com a música, com a letra, com a palavra que expressa qualquer sentimento.

Moyseis Marques!

sábado, 12 de março de 2011

terça-feira, 8 de março de 2011

Pedaços surgiu! assim como quase tudo na minha vida, não foi planejado, apareceu. E tinha que ser assim pedaços mesmo, pedaços que surgem do nada
e também acabam do nada. Escrever sempre foi minha paixão, mas sempre houve uma preocupação em como começar... Ter um tema, um foco, depois um começo, um meio e um fim... saber terminar sempre foi um problema pra mim, porque a inspiração não vem assim com data e hora marcada.Ela vem ou não.Ás vezes você passa dias sem conseguir combinar uma palavra com nada e em outros dias são tantos pensamentos, tantas emoções, tantas palavras que querem sair que você fica atordoado querendo não perder uma só idéia.Você acorda de madrugada para anotar rapidamente uma palavra que no dia seguinte te faça dar continuidade aquela idéia, aquele sentimento.Quando Pedaços foram surgindo eu compreendi uma nova fase literária na minha vida, acho que uma fase muito minha mesmo, tipo a minha cara, a minha praia.Passei a escrever sem preocupação em como começar e nem como terminar, sem ter mais que ser tudo rosa com rosa, azul com azul.Acho que to mais á vontade para misturar verde com roxo, laranja com Pink e por aí.Pedaços não vai ter fim, porque sempre haverão pedaços para escrever, pedaços a viver, sentir, fazer,pedaços que se foram e os que estão por vir, porque a vida não seria nada mais do que pedaços?Então acaba de nascer Pedaços e não tem hora para acabar, não terá um volume, dois... Poderá ser somente um e quem sabe muitos enquanto eu viver. Então Pedaços só terá fim quando finalmente o Criador resolver me chamar. Pensando bem sempre escrevi em pedaços e na única tentativa que fiz em escrever uma história seqüencial, não deu mesmo certo, porque até hoje a história vive na minha mente, mas o projeto no papel está inacabado, por essa total falta de não saber dar seqüência ás narrativas. E hoje pensei que minha vida também sempre foi feita de pedaços em pedaços... Engraçado isso, e o mais engraçado é somente agora eu ter dando conta dessa bagunça generalizada que é a minha vida, então jamais eu poderia ser uma escritora organizada. Pedaços vou escrevendo assim em pedaços mesmo.Eles ficam todos juntos e a cada momento pulo de um pedaço á outro.Ás vezes estou escrevendo um e me vem algo sobre outro pedaço, não tem dúvida, largo aquele e vou no outro.Louco!Espero somente conseguir levar a quem ler a compreensão de que todos os pedaços se interligam numa sincronicidade tão incrível que jamais uma seqüência conseguiria ligar. Pode entrar em Pedaços, seja Bem Vindo!Que os meus pedaços possam se juntar aos seus pedaços. Que os meus pedaços sirvam para os seus pedaços. Querendo podem mandar seus pedaços pra mim, ok?
Você está entrando nos meus Pedaços!
Aproveite
Como são pedaços, não existe uma ordem correta, eles estão de
cima pra baixo e de baixo pra cima
Você vai ter que rolar a setinha e escolher qual pedaço você vai ler primeiro
Escreva seus Pedaços, mande seus pedaços, a troca é sempre saudável
Ah! troca troca mais ainda!
Querendo me escrever:
anamerica@terra.com.br
Já deu para perceber que além de escrever eu sou apaixonada por música e dança
Gosto de muita coisa, mas atualmente sou fã incondicional de M.M.
Rola a setinha e conheça esse sorriso deslumbrante.
Beijos.

O Primeiro Clarim

Dircinha Batista
Composição: Rutinaldo / Klécius Caldas

Hoje, eu não quero sofrer
Hoje, eu não quero chorar
Deixei a tristeza lá fora
Mandei a saudade esperar, lá, iá, lá, iá
Hoje eu não quero chorar
Quem quiser que sofra em meu lugar.

Quero me afogar em serpentinas
Quando ouvir
O primeiro clarim tocar
Quero ver milhões de colombinas
A cantar:
Lá, iá, lá... lá, iá, lá...
Quero me perder de mão em mão
Quero ser ninguém na multidão.

segunda-feira, 7 de março de 2011

EU?
Já disse minha melhor especialidade é investigar a alma humana, tentar desvendar segredos, emoções, sentimentos e atitudes que me façam enxergar que o ser humano, tão complexo e tão facetado possa se mostrar pleno e verdadeiro naquilo que busca.
Presto atenção á tudo, aos pequenos detalhes, palavras escondidas no meio de frases inacabadas, respostas que não são dadas á perguntas não respondidas.
Sujeitos ocultos e predicados diretos e indiretos, esses são os meus preferidos, principalmente os sujeitos ocultos. Adoro encontrá-los.Verbos que são conjugados em todos os tempos e em todos os modos.Presto atenção principalmente ao que não foi dito e ao que se disse e como se disse.Busco encontrar dentro das almas vestígios do que fomos e tentar descobrir as intenções que carregamos e porque as carregamos.Adoro remexer por todos os lados, testar os limites, a paciência, a tolerância.Gosto de retirar do mais apurado paladar, o mais amargo veneno.Amo quando as palavras já não encontram mais tinta, nem fala disponível.Esgota-se o repertório, acaba o papel e a escrita fica ali á espera de um socorro.Essa sou eu, atenta á vida, aos detalhes e desatenta ao coração.Mas aprendi a me virar sozinha...Sou capaz de me lembrar de um olhar de 20 anos atrás e me esquecer de palavras ditas ontem mesmo.Não me contento em ser uma mulher somente linda, isso já passou na minha vida e eu não sou e nem quero ser uma menina linda, quero e sou uma mulher linda,madura, inteligente, capaz de amar um único homem com uma intensidade e um gosto muito mais apimentado do que simplesmente uma menina linda.Meninas lindas servem para desfilar na praia, mas somente quando se tem 20 anos, porque continuar uma menina linda que só anda na praia sem saber o que quer da vida, depois dos 20 é pura burrice.Só linda, não tem sal e nem açúcar.Eu hoje tenho tempero, condimento.Mas tive 20 anos e já desfilei pela praia,mas já foi, ainda bem.Porque há um vazio tão grande em ser apenas linda que ás vezes não compensa.Mas sei que em todo caminho há um perigo eminente, um desafio constante, um grito,um alerta.Seguir? Voltar? Ou nem ir?Posso pensar e dar a resposta daqui a um minuto?
Ok!
Prazer em te conhecer! Se você vier a me amar, ou se eu te amar, você vai poder ir embora, não vou te prender (coisa ruim, eu ando dispensando). vamos deixar algumas coisas bem claras, afinal o que é combinado...
Se amanhã fizer sol, não vou te perturbar implorar, chorar e nem mesmo pedir de joelhos de pijama atrás da porta, e muito menos te agarrar pelos cabelos, não vou me fazer presente na sua vida, mas ouvir umas verdades, ah! Não tem como, aí você vai: O sinal avisa:
Próxima Parada, Estação Puta que Paril: Vá
Interessante ler depoimentos no Orkut. Você já leu? Não? Experimente. Mais interessante ainda são os depoimentos de namorados ou sei lá de amores, relacionamentos, coisas como:_ Você é meu porto seguro; _ Você me traz segurança; _ Eu nada seria sem você;_ Ao seu lado eu tenho forças, e por aí. E o mais interessante é que nem bem passados alguns meses, aquele porto seguro se vai e outro porto seguro aparece.Caramba!Ninguém tá seguro. Porque o amor não pode carregar essa responsabilidade tão pesada de dar segurança ao outro, de fazer com que o outro se mexa, ande, só porque você existe ou de ter que existir para que o outro exista, ou ter que estar ao lado de alguém para que o outro tenha forças. Affe! Se eu acho lindo? Acho sim! Mas nós poderíamos comer uma pizza napolitana enquanto penso com mais carinho nessa parada. Amo pizzas, de todos os tipos e de todas as formas. Pizza com guaraná, coca-cola, com vinho, com catchup, aprendi com os cariocas porque não é coisa de paulista, enfim não importa amo pizza. Talvez meu cisne negro esteja enciumado porque nunca recebi um depoimento desses e nem mesmo acredito que tenha feito tal depoimento para alguém.Tem um lado engraçado e outro extremamente apaixonado, e eu me pergunto:_Se eu também sou um ser exageradamente apaixonado porque nunca fiz ou recebi tal depoimento?Caramba talvez eu tenha que admitir que não seja exageradamente apaixonada por ninguém, esse amor exagerado com certeza é por mim mesma, pela capricho que ás vezes tenho de querer que tudo tenha que ser como eu quero. Ou seja, quero que me amem da maneira que eu estiver precisando em determinado dia e não quero nem que fique perto de mim se naquele dia eu não estiver precisando de tanto amor assim. Então acho meio triste ter que depender da existência de outro ser para que eu possa viver.Acho bacana comermos essa pizza juntos, dividirmos o vinho, dar muita risada, acho legal se você quiser me contar sua história, suas tristezas e suas alegrias, conto as minhas também.Adoro conversa de bêbado.Aí acho que ninguém precisa desse patético depoimento em rede mundial.Pra que? Se amanhã tudo pode e com certeza vai mudar e eu não vou poder ficar transferindo essa responsabilidade cada ano pra uma pessoa. Bom, podemos nos abraçar e tentar chegar juntos até o carro vai ser divertido. Ai, a conta! Alguém se lembrou de pagar?
Você já se apaixonou por um sorriso? Um sorriso, isso mesmo... É um amor platônico, hum essa é uma palavra da qual não entendo e se não entendo não gosto. Procurar seu significado no dicionário não vai adiantar porque eu vou não continuar entendendo...porque pra mim se eu não sinto, não compreendo. Que raio é esse tal de amor platônico?Sei não! Eu to é falando desses que você sabe que infelizmente não vai poder pegar amassar, revirar, jogar pra cima, se jogar em cima, lamber, comer, beber... enfim...mas você pode sonhar...Ah! Isso ninguém tira de ninguém. O sorriso tá ali, bem na sua frente, e você vê através dele a alma que se abre, como se fosse uma flor desabrochando.Tem sorriso tímido, tem meio sorriso, sabe como é? Aquele sorriso pequeno, esquisito, você não sabe se a pessoa sorriu porque sorriu ou se sorriu pra não ficar chato. Também tem aquele sorriso exagerado, aquela gargalhada deliciosa que sai lá do fundo e vem num ímpeto que você não consegue controlar.Mas tem o sorriso, simplesmente o sorriso.Ah! Esse não tem quem explica, não mesmo... Ele é doce, simples, verdadeiro, ele é lindo. Ele desnuda a alma revelando segredos tão íntimos que só mesmo quem presta atenção a um sorriso assim consegue compreender.Gosto de ver alguém sorrindo, sou capaz de ficar horas olhando para um sorriso assim.E de repente me dar conta que apenas por aquele sorriso seria capaz de perder a cabeça ou o que ainda me resta dentro dela. _ Um café por favor_ Com açúcar. Detesto café com adoçante. É incrível como o mundo virtual facilita nossa vida e ao mesmo tempo nos enlouquece. É fácil fazer cálculos, melhor, não é mais necessário fazê-los, é bom demais pra se falar com quem está longe, porque nos dá a sensação de estar mesmo perto. Até sexo se faz virtual. Acho esquisito, mas não vou questionar. Não tem toque, e sem toque é esquisito. Não tem sorriso virtual, você não sabe se o camarada sorriu ou se deu risada ou se de repente não teve nenhuma dessas emoções. Mas uma foto consegue captar e eternizar um momento ou um sorriso. E você é capaz de ficar uma eternidade olhando para um sorriso, tentando decifrar aqueles mistérios, aquela pureza que se estampa ali, bem no meio de um rosto. Gosto de tentar adivinhar as histórias de vida que cada um leva por detrás de um sorriso, ou de uma dor, de uma lágrima.Não não gosto de Lágrimas, elas me comovem demais da conta.Sofro junto, choro junto...já o sorriso não,ele não me comove, ele me contagia, ele me fascina, me envolve com uma luz cheia de magia, cheia de vida.Não preciso saber seu nome, se você me der um sorriso.Tá explicado tudo e podemos pedir outro café_ Com açúcar e com afeto, fiz seu doce predileto...
Posso perfeitamente ter caído numa tarde qualquer de algum para queda perdido ou quem sabe ter sido atirada por uma nave espacial, por total desapego ou por dedicação excessiva. Enfim algo que já não servia mais, um ser em desuso, desatualizado, desconfigurado, com recomendação urgente para se fazer uma formatação. Mas a emoção é sempre a mesma:Mãos frias, corpo tremendo,coração saindo pela boca,a cabeça não racionaliza,você quer se jogar no outro, se fundir, entrar,errar a porta, entrar no banheiro masculino e não se dar conta.Tomar uma vodca como se fosse água, pedir a conta e se lembrar que esqueceu a bolsa em casa.Você pergunta se fez muito frio, ou olha para o céu e repete aquela interminável frase:_Acho que vai chover! Qualquer coisa nesse momento pode ser útil, qualquer coisa, mas olha só, quer saber? Vai lá cara, vai lá e vive tudo isso, porque ninguém sabe se haverá outro dia de chuva. O amor não é um dia de sol, está mais para uma tempestade, mais para um terremoto, vendaval, qualquer acidente natural. Sobe essa escada sem elevador, entra na porta que estiver aberta, senta na cadeira que estiver mais próxima e não faz pergunta. Veste o primeiro moletom que você encontrar entra num ônibus qualquer porque o importante não é onde você vai descer, mas a paisagem que você verá durante o percurso. Quando descer em qualquer ponto abraça esse Amor, ainda que ele doa, ainda que ele queime, arda, sangre,ainda que falem, abraça assim mesmo, não solta, não escuta, perdoa. Deixa pra depois... aí você resolve se vai levar o guarda-chuva ou não.
Ah! Te falei meu nome?
Ana!
Se eu me arrependo?Não! De nada. Se faria tudo igual?Não! Algumas coisas mudaria, mas não por arrependimento, por discernimento, por sabedoria, por inteligência. Costumo não pensar antes de agir, depois me arrependo dessa impulsividade, desse descontrole que me leva sempre a seguir e ouvir somente meu coração. Por outro lado, poderia escrever um romance nascido de um Botequim na Lapa, de uma mesa de compositores, de músicos, de bêbados, de putas, acho até que tem muito mais a ver comigo mesma, onde o som se misturasse as vozes cada vez mais altas e os copos virassem rápidos trazendo uma embriagante brisa as cabeças atormentadas pela poesia. Ou quem sabe de uma batucada na madrugada. Gosto dessa diversidade dessa coisa eclética que se mistura e me fascina. Me fascina estar misturada. Acho que esse amor tem mesmo que vir dessa mesa na Velha Lapa e tem que ser pegador, malandro, boêmio, daqueles que dão trabalho, sabe como é? Que você tem que fritar o peixe de olho no gato todo dia. Daqueles que você carrega pra casa de porre, tira a roupa, depois beija e fica horas olhando enquanto ele dorme, como que velando seu sono, ou tomando conta mesmo, porque se ele vomitar, pode se engasgar. Daqueles que você tem que fazer oferendas aos Orixás, fazer reza simpatia, macumba pra afastar as outras do caminho. Gosto disso. Acho que esse é meu tipo, porque o malandro sabe amar, sabe fazer uma mulher feliz, porque esse homem é aquele que se mistura e me fascina. Tem pegada. Se chover talvez eu vá. Preciso ver a previsão do Tempo e saber se posso viajar com segurança. Afinal cuidados básicos são essenciais á sobrevivência da espécie. Não se anda por aí, dando bobeira não. Gosto desse final; Gosto de me questionar de que raça sou e a que planeta pertenço de fato. Gosto de escrever coisas que não se combinam mas que eu entendo muito. Não sei se existo, mas sei que carrego um veneno mortal á espécie humana. Mordo e Mato e se não Mato, Mordo. Ah! Escrevo... Falo o que penso o que sinto... Droga... droga.
Tenho um sonho, sonho mesmo, desses que você sonha á noite... sonho em ter uma pequena casa branca cheia de flores coloridas, de onde eu pudesse ver o mar, assistir todos os dias o sol nascer e o sol se por ao cair da tarde, deixando uma cor laranja no céu. Onde eu escutasse a música do meu próprio coração e estivesse mais distante das coisas da cidade. Onde pensar no futuro seria apenas pensar no dia seguinte, nas folhas secas que eu veria voarem com o vento a brincar, formando círculos ao redor de si próprias. Um lugar onde eu sentisse o pulsar da minha alma, onde eu pudesse viver com pessoas simples, mas que carregam tantas histórias, tantas sabedorias em suas pequenas bagagens. Ouvir histórias. Gosto de ouvir histórias. Não mais me preocupar se vão gostar de mim porque eu sou bonita, ou feia, porque tenho dinheiro ou não.Um lugar onde eu pudesse e tivesse tempo de ler todos os livros que eu quero,declamar todas as poesias que eu carrego dentro de mim e que ás vezes parecem querer explodir,se atropelar nos meus pensamentos. Onde eu pudesse falar sozinha e não tivesse que me preocupar no que as pessoas estivessem pensando. Falo sozinha? Não, Não falo sozinha, falo comigo mesma. Preciso conversar com meu coração,ouvir minha alma, preciso saber de mim mesma o que procuro. Um lugar onde houvesse festas, que são realizadas na rua, onde todos participam, onde se dança com o vestido mais simples e mais florido que se tem, onde se canta e se namora... Onde se sonha. E quem sabe daí nascesse um belo romance daqueles bem açucarados, com gosto de mel enrolados uma vela amarela e oferecido aos pés de Oxum num bonito trabalho de amarração. Romance mesmo, daqueles onde se é a princesa e estivéssemos na eterna espera do príncipe encantado. Mas encantado de verdade, porque senão não é príncipe e não tem graça. To procurando um para viver uma linda e perpétua história de amor: ”E foram felizes para sempre!” Valei-me minha mãe de Oxum!Saravá! Só mesmo sendo Filha de Oxum pra poder explicar esse temperamento instável e elástico; essa teimosia, essa irreverência, esse amor exagerado e manhoso, essa ousadia que atravessa meus miolos e sai em forma de sons ou de palavras escritas numa folha qualquer. Oxum tem o humor caprichoso e mutável. Dizem que em alguns dias, suas águas correm aprazíveis e calmas, elas deslizam com graça, frescas e límpidas, entre margens cobertas de brilhante vegetação. Numerosos vãos permitem atravessar de um lado a outro.
Outras vezes suas águas, tumultuadas, passam estrondando, cheias de correntezas e torvelinhos, transbordando e inundando campos e florestas. Ninguém pode atravessar de uma margem à outra, pois ponte nenhuma as poderia ligar. Oxum não toleraria uma tal ousadia! Quando ela está em fúria, ela leva para longe e destrói as canoas que tentam atravessar o rio. Tá explicado minha bipolaridade, isso mesmo... Não é a psiquiatria que vai me diagnosticar e sim minha mãe Oxum, a Rainha das Águas Doces.
Amo Poetas e Poesias, por isso tento seguir e trilhar os caminhos da alma e do coração. Sou do Mundo, minha casa é meu tesouro, meu coração, minha família e meus amigos meus bens mais preciosos, não tenho raízes para me prender, apenas para me alimentar. Sou do Samba, do Carnaval e da Alegria. Sou Peregrina, Caminhante e Pensante. Sou Temperamental, Ciumenta, Instável, Mimada, Disciplinada, ás vezes Preguiçosa; Amo dormir até tarde, mas acordo muito cedo, sou apaixonada por brigadeiro, mas como alface com cenoura porque é saudável; adoro um lugar tranqüilo, um fim da tarde, um café, um piano bar, mas só freqüento altas baladas, roda de samba e pagode; amo música clássica, mas carnaval no Rio é pra onde eu vou todos os anos; gosto de chá de canela com hortelã, mas tomo vodca com limão; amo o mar, mas, detesto pisar na areia; adoro chuva, mas odeio me molhar; curto a natureza, mas nunca acamparia; não sou beata, mas os terços são uma paixão e entrar em igrejas também; sempre rezo e sempre choro em frente a um altar; declamo poesias, canto e danço para afastar energias ruins, não sou boa, também não sou ruim, ou melhor, sou boa, ás vezes sou ruim, ou será que sou ruim e ás vezes sou boa... Vai entender... Quem sabe algum dia; nunca sei o que quero, mas sempre sei o que não quero. Sou organizada, mas não sou neurótica, ás vezes o Caos faz parte do meu dia. Não sei se estou perto ou longe demais, se peguei o rumo certo ou errado. Sei apenas que sigo em frente, vivendo dias iguais de forma diferente. Acho que viver é a mais fascinante de todas as experiências. E o Amor o mais traiçoeiro de todos os sentimentos, mas conjugá-lo no modo presente e afirmativo ainda é fazer parte das poucas e corajosas pessoas que o desafiam todos os dias.
Amo escrever... Amo transformar pensamentos em palavras e depois escrevê-las. Amo fuçar a alma humana, pensamentos, emoções, desafiar os verbos dentro das frases, tentar combiná-los com os substantivos, adjetivos e ver tudo isso transbordando em sentimentos, poesias, músicas... Assim escrevo meu perfil dentro do meu Blog. Difícil descrever nós mesmos porque, por mais leais que tentamos ser sempre puxamos a famosa sardinha pro nosso lado. Não sou diferente, mas conheço meu Cisne Negro e é em cima dele que tento fazer os aprendizados que a vida me propõe,sei que onde existe luz existem sombras. Ás vezes bato de frente com algo ou alguém, vou até o fim quando acho que estou certa, mas, aí é que mora o perigo... nem sempre sei se estou certa.Subo os degraus, desço,tento apanhar o elevador no andar de cima, tomar um ônibus, um taxi que me leve onde estão as respostas que eu busco.Não sei lidar com a mágoa, com a injustiça e com a decepção, não sei mesmo.Fico pra morrer quando acredito em alguém e vejo que me enganei.Fico pra morrer comigo por ter me deixado enganar e com o outro a quem depositei confiança e me abraçou pelas costas.Mas sei que não posso me deixar abater por situações assim e muito menos por pessoas pequenas.Sou dura? ou mole? Não sei... Acho que dura e mole. Sou um misto de sentimentos e emoções selvagens demais para serem compreendidas. Minha vida era estudada, planejada, traçada, estruturada mas, um dia tudo ruiu, veio abaixo,não sobrou nada... Talvez fosse Dezembro ou Janeiro, durante as tempestades de verão, não me lembro mais, só sei que aprendi a não planejar mais nada, somente viver. E amanhã? Amanhã? Respondo:_É Segunda. Não tenho idade, ao invés de dizer tenho tantos anos, digo: Tenho muitos amigos, muitas paixões, algumas tristezas, alguns problemas, Duas filhas, Dois netos e dezenas de Prazeres.
Não tenho mais Planos, Sigo,Gosto de pagar pra ver... Gosto de viver, de ver, pegar, ouvir, cheirar, chorar, sorrir... Sou devota de Nossa Senhora da Glória, subo a escadaria da Penha todos os anos, sou filha de Oxum, Aquariana, Teimosa, Vaidosa, Independente, Exagerada, São Paulina, Sou Rosas de Ouro, mas a Vai Vai me enche de alegria, Sou Mocidade de Padre Miguel, mas o vermelho do Salgueiro incendeia meu corpo e meu coração e nunca poderei definir aquele azul, que não era do céu, nem era do mar, mas, que foi um rio que passou em minha vida e meu coração se deixou levar... Portela. Sou Cartola, Pixinguinha, Noel e Adoniram Barbosa, Sou da Velha Lapa e do Bexiga e acredito nisso tudo, no amor, no sorriso, na poesia e na alma. Sou Cigana, tenho cor e tenho luz e tenho brilho. Gostar de mim é um desafio, uma prova de fogo, não deve ser fácil não conviver com um ser tão controverso.
FÃ É FÃ!

sábado, 5 de março de 2011

sexta-feira, 4 de março de 2011

Panos e Planos

Moyseis Marques
Composição: Luis Carlos Máximo/ Moyseis Marques

Ganhei naquela parada, nega
E já comprei uma casinha branca
Cozinha ladrilhada
Tem samambaia e rede na varanda
Um extenso lajeado
Pra se curtir nos domingos de sol
Com churrasquinho e futebol
Espaço "pras" crianças
Na vizinhança canta um rouxinol

Traz um caixote "pros" livros
E "pro" jogo de jantar
Faz um feijão "pros" amigos
Bota um choro "pra" tocar
Traz nossos panos e planos
Pinga pro santo que hoje eu vou casar
Estabiliza as contas neguinha
Economiza e compra a blusinha
A branca de rendinha
Do balcão da Terezinha
Pode encomendar
E vai calçando os meninos
Brincadeira em Paquetá
Passando por Madureira
Trago uns mimos "pra" lhe dar
Tô com mamãe na Mangueira
Dessa maneira hoje eu não vou chegar
E num sopapo eu volto "pra escola"
Vou aprender cavaco e viola
E chega de demanda
O novo tema do meu samba
É muito amor pra dar.

Ganhei naquela parada, nega...

Emilio Santiago e M.M

quinta-feira, 3 de março de 2011

E ELE AINDA CANTA!!!!!!!!!!!!!!!!!

Ela é minha cara

Mart'nália
Composição: Ronaldo Bastos

Causa reboliço aonde passa,
Desce mais redondo que a cachaça...
Ela é a fulana de tal,
O seu palácio vai do Leme ao Pontal,
É a minha mais entre as dez mais.
Ela é gente bem,
Por isso mesmo não dá mole a ninguém,
Mas um dia eu faço ela sambar.

Ela é o colírio da moçada
Quando chega pára a batucada.
Ela é o jazzy,
E há quem diga que parece um rapaz,
Mas quem fala é louco pra encarar.

Ela é minha cara
E nem me olha quando a gente se esbarra,
Mas um dia eu faço ela sambar.
Tira onda de granfina ,
Mas p mim é só a mina
Que enfeitiçou meu coração.
Vai que um dia pinta um clima
E ela vem parar na minha
E eu vou comer na sua mão...